Tamanho do texto

Grupo imobiliário planeja emitir inicialmente 4,8 milhões de ações; período de reserva tem início na próxima quarta-feira

O grupo imobiliário Lopes pode obter mais de R$ 210 milhões com uma oferta pública primária de ações ordinárias.

A empresa planeja emitir inicialmente 4,8 milhões de ações, conforme prospecto divulgado nesta quarta-feira. Considerando a cotação de fechamento do papel na véspera, que foi de R$ 32,50, a operação pode levantar R$ 156 milhões.

Esse montante, contudo, pode ser elevado se considerada a possibilidade de acréscimo de até 15% na quantidade de ações ofertadas no lote suplementar (720 mil ações) e de até 20% no lote adicional (960 mil ações). Com isso, a Lopes pode levantar R$ 210,6 milhões.

O período de reserva tem início na próxima quarta-feira, 13 de outubro, e se encerra no dia 20 do mesmo mês.

Investidores de varejo podem participar da oferta com aporte mínimo de R$ 3 mil e máximo de R$ 300 mil reais. Já as intenções de investimento que superarem esse teto serão enquadradas na oferta institucional.

A fixação do preço por ação ocorre em 21 de outubro e os novos papéis da Lopes começam a ser negociados na Bovespa quatro dias depois.

A companhia havia informado no início de setembro que os recursos obtidos serão destinados à aceleração do plano de crescimento, além de expansão da base acionária e da liquidez das ações.

A oferta, que também incluirá esforços de colocação das ações no exterior, é coordenada pelos bancos Itaú BBA (líder), BTG Pactual e Goldman Sachs do Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.