SÃO PAULO - As bolsas americanas continuam a ditar o tom negativo para o mercado acionário brasileiro na tarde desta terça-feira, e o Ibovespa se encaminha para mais um fechamento em baixa, também pressionado por suas "blue chips". Próximo das 16h10, o índice recuava 0,93%, aos 65.365 pontos, com volume financeiro negociado de apenas R$ 3,89 bilhões.

SÃO PAULO - As bolsas americanas continuam a ditar o tom negativo para o mercado acionário brasileiro na tarde desta terça-feira, e o Ibovespa se encaminha para mais um fechamento em baixa, também pressionado por suas "blue chips". Próximo das 16h10, o índice recuava 0,93%, aos 65.365 pontos, com volume financeiro negociado de apenas R$ 3,89 bilhões. Em Wall Street, no mesmo horário, o Dow Jones perdia 0,80%, o Nasdaq tinha baixa de 1,11% e o S & P 500 se desvalorizava em 0,93%. Com esse desempenho, o Ibovespa e as bolsas dos Estados Unidos se encaminham para a quarta baixa seguida. Os mercados operam no vermelho desde sua abertura, mas as vendas ganharam força com os números piores que o previsto das revendas de casas americanas, em julho. No Brasil, os papéis de maior peso sobre o Ibovespa continuam em baixa, com destaque para as ações da Vale. Há pouco, os papéis PNA da mineradora cediam 2,05%, a R$ 41,43, enquanto as ações PN da Petrobras recuavam 1,01%, a R$ 26,39. O analista de investimentos da SLW Corretora, Pedro Roberto Galdi, assinala que o mercado continua a especular sobre a possibilidade de uma compra pela Vale da empresa de fertilizantes canadense Potash, apesar da negativa da mineradora. "Não há sentido nesta compra, já que a Vale precisa investir muito em seus próprios negócios. Não consigo ver a empresa contraindo uma dívida desse porte agora", pontuou. Em sua avaliação, o clima pesado do mercado ganha respaldo na agenda mais pesada de indicadores da semana, com destaque para a segunda prévia do PIB trimestral americano, que sai na sexta-feira. Entre os papéis que compõem o Ibovespa, há pouco, as maiores altas partiam de Braskem PNA (2,64%, a R$ 14,73), Cemig PN (2,52%, a R$ 26,37) e Telesp PN (1,56%, a R$ 38,99). Já as maiores baixas do índice vinham de Bradespar PN (-3,17%, a R$ 36,26), das units da ALL (-3,14%, a R$ 16,03) e de Telemar Norte Leste PNA (-3,82%, a R$ 46,06). (Beatriz Cutait | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.