SÃO PAULO - Mais uma vez descolada do mercado acionário americano, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera no campo positivo pelo terceiro pregão consecutivo, puxada principalmente pelo forte desempenho dos papéis da Vale. Próximo das 16h10, o Ibovespa avançava 0,48%, aos 66.580 pontos, com volume financeiro negociado de R$ 7,8 bilhões.

SÃO PAULO - Mais uma vez descolada do mercado acionário americano, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera no campo positivo pelo terceiro pregão consecutivo, puxada principalmente pelo forte desempenho dos papéis da Vale. Próximo das 16h10, o Ibovespa avançava 0,48%, aos 66.580 pontos, com volume financeiro negociado de R$ 7,8 bilhões. A primeira etapa dos negócios da Bovespa foi marcada pelo exercício de opções sobre ações, que movimentou o total de R$ 3,69 bilhões. Na avaliação do sócio-diretor da AZ Investimentos, Ricardo Zeno, até quarta-feira, quando ocorre o vencimento de opções sobre o Ibovespa e do contrato futuro, o mercado brasileiro poderá contar com volatilidade em suas operações e apresentar um descolamento do ambiente externo. Há pouco, entre os maiores giros do dia, figuravam, em ordem, as ações PN da TAM (0,41%, a R$ 36,35), com R$ 563,5 milhões; Vale PNA (1,42%, a R$ 43,50), com volume de R$ 459 milhões; e Petrobras PN (0,07%, a R$ 27,68), com valor movimentado de R$ 312,2 milhões. As maiores valorizações do Ibovespa partiam dos papéis Braskem PNA (4,25%, a R$ 14,20), Brasil Ecodiesel ON (3,52%, a R$ 0,88) e Ultrapar PN (2,75%, a R$ 94,95). No sentido oposto, destacavam-se entre as principais quedas do índice as ações LLX Logística ON (-1,79%, a R$ 9,32), JBS ON (-5,71%, a R$ 7,92) e Gol PN (-6,73%, a R$ 24,25). Em Wall Street, após quatro quedas seguidas, as bolsas apresentam instabilidade neste pregão. Há instantes, enquanto o índice Dow Jones cedia 0,31%, o Nasdaq subia apenas 0,01% e o S & P 500 se desvalorizava em 0,30%. (Beatriz Cutait | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.