Tamanho do texto

Na Europa, as principais bolsas fecharam o pregão sem direção única

Ainda que tenha perdido um pouco de força, o Ibovespa segue operando no azul no pregão desta sexta-feira, puxado principalmente pelas ações da OGX Petróleo. Próximo das 14h15, o principal índice do mercado acionário brasileiro, que já marcou máxima de 66.58 pontos, registrava alta de 0,46%, aos 66.271 pontos. O giro financeiro estava em R$ 3,2 bilhões.

Já nos Estados Unidos, as bolsas operavam de lado. Enquanto o índice Dow Jones tinha valorização de 0,17%, o Nasdaq se depreciava em 0,25% e o S & P 500 apurava leve alta de 0,03%. Na Europa, as principais bolsas também fecharam o pregão sem direção única. Os investidores analisam hoje novos dados das economias americana e europeia.

No "Velho Continente", a zona do euro reportou um crescimento de 1% do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre do ano, comparado aos três primeiros meses do ano, um resultado que superou as estimativas. Apenas na Alemanha, a economia se expandiu em 2,2% entre abril e junho, na comparação com os três meses anteriores, no melhor resultado desde a reunificação do país, em 1990. Já nos Estados Unidos, entre os destaques do dia, a confiança do consumidor foi um pouco melhor que o esperado em agosto.

De acordo com estudo preliminar da Universidade do Michigan, o indicador que mede esse sentimento ficou em 69,6 pontos neste mês, ante os 67,8 de julho. De outro lado, o Departamento do Comércio informou que as vendas no varejo dos Estados Unidos aumentaram 0,4% em julho, em relação ao mês anterior, na primeira alta em três meses. Era previsto um crescimento um pouco maior para o período. No front doméstico, as "blue chips" contribuem para a valorização do Ibovespa, mas o principal giro do dia parte das ações ON da OGX Petróleo.

Ontem, a empresa anunciou a descoberta de gás no poço OGX-16, localizado na bacia terrestre do Parnaíba, situada na região Nordeste. Eike Batista, presidente da OGX, estimou, com base nos resultados dessa perfuração, que o potencial de reservas na área onde detém blocos na bacia do Parnaíba pode ficar entre 10 e 15 trilhões de pés cúbicos (TCF). Além disso, a companhia revelou que teve um lucro líquido de R$ 57,8 milhões no segundo trimestre do ano, revertendo o prejuízo apurado no mesmo período do ano passado, de R$ 177,5 milhões. Há pouco, os papéis da empresa disparavam 4,80%, a R$ 19,65, com volume de R$ 417,6 milhões.

Já as ações PNA da Vale subiam 0,88%, a R$ 43,10, com giro de R$ 329,7 milhões, enquanto os papéis PN da Petrobras se apreciavam em 0,50%, a R$ 27,67, com giro de R$ 202,5 milhões. A estatal anuncia hoje, após o fechamento do mercado, seu resultado do segundo trimestre do ano. Vale lembrar que, na próxima segunda-feira, ocorre o vencimento de opções sobre ações na Bovespa. Além da OGX, figuravam entre as principais altas do Ibovespa as ações ON da PDG Realty (3,44%, a R$ 17,43) e da Rossi (3,26%, a R$ 15,48), além dos papéis ON da Fibria (2,26%, a R$ 28,40).

Na trajetória oposta, as maiores quedas do índice partiam de Usiminas PNA (-1,77%, a R$ 48,15), das units da ALL (-2,40%, a R$ 15,42) e dos papéis PN da TAM (-4,30%, a R$ 27,14). Fora do Ibovespa, destaque para os papéis ON da Multiplan, que subiam 2,62%, a R$ 32,44. A administradora de shopping centers registrou lucro líquido de R$ 51,4 milhões no segundo trimestre, uma expansão de 12,7% em relação aos R$ 45,6 milhões apurados em igual período do ano passado.

No mercado cambial, a moeda americana opera em leve queda em relação à divisa brasileira, após três altas seguidas. Há pouco, o dólar comercial recuava 0,11%, a R$ 1,772 na venda.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.