Petrobras sobe 0,79%, Vale avança 0,48% e Usiminas tem valorização de 2,8%, a maior do Ibovespa

Com pouco mais de uma hora para o encerramento do pregão, o mercado acionário brasileiro acentuou os ganhos e opera na maior pontuação desde o dia 23 de abril (69.509). A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) mostra novo descolamento do ambiente internacional, em um dia de destaque das ações da Vale e da Petrobras. Próximo das 15h50, o Ibovespa tinha valorização de 0,58%, aos 69.215 pontos, com volume negociado de R$ 4,44 bilhões.

Já em Wall Street, as bolsas permanecem voláteis. Instantes atrás, o índice Dow Jones se valorizava em 0,07%, o Nasdaq caía 0,18% e o S&P 500 tinha baixa de apenas 0,07%.

"O mercado brasileiro mostra certo descolamento dos fatores externos e tem uma valorização muito ligada ao desempenho da Petrobras no pós capitalização. Há um movimento sem nenhuma trava da bolsa, sem impedimento à alta, apenas com uma participação maior do governo, que poderá ser ruim para a empresa no futuro, mas que não está sendo levada em consideração", diz o economista-chefe da Interbolsa, Julio Hegedus, que avalia que o Ibovespa tem condições para chegar ao fim do ano num patamar entre 72 mil e 74 mil pontos.

Minutos atrás, as ações PN da Petrobras avançavam 0,79%, a R$ 26,71, enquanto os papéis Vale PNA subiam 0,48%, a R$ 45,82. As principais altas do Ibovespa permaneciam às ações Usiminas PNA (2,80%, a R$ 23,13), CSN ON (2,56%, a R$ 29,56) e OGX Petróleo ON (2,26%, a R$ 20,81). Já as maiores quedas do índice partiam de Telemar Norte Leste PNA (-2,09%, a R$ 45,27), Duratex ON (-2,29%, a R$ 17,88) e Marfrig ON (-2,50%, a R$ 17,48). (Beatriz Cutait | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.