Criado como medida anticrise em 2009, o programa de recursos a longo prazo terminaria em junho

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou hoje a prorrogação, até o fim de dezembro deste ano, do Programa de Sustentação de Investimento (PSI), que terminaria em junho próximo. Criado como medida anticrise em 2009, o programa de recursos a longo prazo e taxas baixas de juros no BNDES terá R$ 80 bilhões adicionais este ano.

O anúncio foi feito durante o lançamento da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-2). Em tom de brincadeira, o ministro disse que o BNDES, que já pratica juros baixos, cobra custos menores ainda no PSI " para inveja do Banco do Brasil " , cuja diretoria estava presente à solenidade.

O BNDES cobra no PSI taxas que variam entre 4,5% e 7,5% ao ano. Mantega disse que no período de prorrogação, entre junho e dezembro, o banco estatal vai aumentar as taxas em um ponto percentual cada, para 5,5% e 8,5% anuais. A exceção será o programa Pró-caminhoneiros, que manterá a taxa de 4,5%.

O PSI é destinado a vários fabricantes de máquinas e equipamentos, bens de capital como tratores, máquinas agrícola, locomotivas, aviões, caminhões, entre outros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.