Operação de captação externa do Tesouro Nacional de US$ 500 milhões é coordenada pelos bancos Deutsche Bank e Merrill Lynch

selo

O governo brasileiro voltou hoje ao mercado internacional com uma oferta de vendas do global 2021, com colocação inicial de US$ 500 milhões.

A operação de captação externa do Tesouro Nacional é coordenada pelos bancos Deutsche Bank e Merrill Lynch. A expectativa é de que o yield (taxa de rendimento para o investidores) do papel fique abaixo de 4,70%.

Essa é a segunda oferta do global 2021, o novo papel do Tesouro com prazo de referência de 10 anos. Na primeira operação de venda desses títulos, realizada em abril deste ano, o Tesouro Nacional vendeu US$ 787,5 milhões. Nessa operação, o yield ficou em 5% e o cupom de juros, em 4,875%. O Tesouro considera um volume ideal para um papel obter liquidez no mercado internacional entre US$ 1,5 bilhão e US$ 3 bilhões.

É possível que esse papel seja ofertado ainda outras vezes. O Tesouro encontrou uma janela de oportunidades para a operação no mercado externo, com a melhora de indicadores econômicos, entre eles dos EUA, além de balanços de bancos.

A demanda pelos papéis do governo brasileiro vem sendo expressiva e, nos últimas dez dias, várias empresas nacionais fizeram emissões no mercado externo.

A operação de hoje está em linha com a estratégia do Tesouro de adicionar liquidez aos papéis da dívida externa brasileira. Nesse sentido, o Tesouro tem recomprado no mercado externo títulos da dívida mais antigos e com cupom de juros maiores e, por outro lado, tem emitido novos papéis, com o cupom de juros mais baixo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.