Tamanho do texto

RIO - O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, considerou normal a volatilidade dos preços das ações da estatal no período imediatamente posterior à capitalização da companhia

. Para o executivo, a operação deixou claro que a companhia é sólida e com boa expectativa de crescimento. Para ele, as ações da Petrobras têm perspectiva de crescimento no longo prazo. "Se não tivesse flutuação de curto prazo, seria uma operação de outro mundo. São ajustes normais em operações que foram feitas. Temos uma empresa sólida financeiramente e com perspectivas sólidas de crescimento", disse Gabrielli, que concede entrevista sobre o processo de capitalização, no Rio. "O mercado vai se ajustar rapidamente a isso", acrescentou. Gabrielli também considerou "tecnicamente normal" o recuo da participação de estrangeiros na operação. Segundo ele, a alocação foi menor que os pedidos dos investidores estrangeiros, uma vez que não houve sobras da oferta prioritária. "A redução era mais ou menos esperada. Foi absolutamente técnico, previsto, antecipado", ressaltou. Para Gabrielli, também não há incongruência entre a participação dos bancos na oferta e os relatórios de alguns analistas que deixaram de recomendar a compra de ações da companhia. O presidente da companhia afirmou que a maior parte dos analistas continua recomendando a compra dos papéis da empresa e lembrou da regra que determina o "chinese wall" (muralha da China) que separa os departamentos de análise e de operações das instituições. "Alguns bancos saíram com relatórios mudando a classificação, mas a maioria manteve a recomendação", disse Gabrielli. (Rafael Rosas | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.