Bovespa sobe 4,11% e volta aos 65 mil pontos, mas recuperação ainda não foi total. Dólar teve a maior queda desde novembro de 2008

Finalmente os europeus deram aos investidores um pacote financeiro que os acalmaram. Depois de uma semana de forte estresse, as bolsas em todo o mundo subiram, aliviadas com a ajuda de até 750 bilhões de euros prometida.

A Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa) abriu a segunda-feira em alta superior a 3% e fechou com ganho de 4,11%, o que permitiu o retorno à casa dos 65 mil pontos: fechamento em 65.452 pontos. A alta foi forte, mas ainda não suficiente para recuperar toda a perda da semana passada, que foi de 6,8% na semana.

Após o nervoso da última semana , Ásia, Europa, Estados Unidos e Brasil deram início à semana em terreno positivo. Investidores de todo o mundo reagiram em alta às boas notícias da União Europeia (UE). Na madrugada desta segunda-feira, em Bruxelas, líderes europeus anunciaram a criação de um fundo , chamado por ora de “mecanismo de estabilização”, no valor total de 500 bilhões de euros. O dinheiro será usado para combater crises sistêmicas na zona do euro (que reúne os 16 países que adotam o euro como moeda) e nos países do bloco que ainda adotam moedas nacionais. A esses recursos poderão ser adicionados 250 bilhões de euros do Fundo Monetário Internacional (FMI).

“Este pacote não se resume a apenas dinheiro – isto é o que menos importa na verdade. O relevante aqui é a sinalização inequívoca que irão fazer todo o possível para garantir a perpetuidade daquela moeda e da sua área de comércio comum”, afirmam em nota matinal ao mercado os economistas da Gradual Investimentos.

Mercados internacionais

Em Nova York, Nasdaq subiu 4,8%, Dow Jones ganhou 3,9% e S&P500 teve valorização de 4,4%.

Todas as principais bolsas da Europa fecharam o dia em alta acentuada, em meio ao otimismo que se espalhou pelo mercado com a aprovação do pacote.

"Os bancos foram os grandes ganhadores, uma vez que este pacote remove a maior parte do risco de default (calote) de dívidas soberanas", avaliou Anthony Grech, diretor de pesquisa do IG Index. "A decisão também injetou um grau de confiança na economia global como um todo", prosseguiu.

Após ter perdido 8,7% no decorrer da última semana, o índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 6,9%, aos 253,52 pontos. Este foi o maior avanço porcentual do índice em um dia desde o salto de 7,2% registrado em 29 de outubro de 2008. A variação positiva é a quinta maior da história em termos porcentuais.

Na Ásia , os mercados mostraram recuperação no fechamento desta segunda-feira. Além da criação do fundo europeu, sólidos resultados do HSBC no primeiro trimestre também estimularam a Bolsa de Hong Kong, que caiu 5,6% na semana anterior. O índice Hang Seng subiu 506,35 pontos, ou 2,5%, e terminou aos 20.426,64 pontos.

Dólar

Depois de avançar 6,87% nas quatro últimas sessões, a moeda americana abriu a semana em forte baixa, com o aumento do apetite ao risco dos investidores, em função do plano de ajuda financeiro à Europa. Dados preliminares apontam que, com mínima de R$ 1,767 e máxima de R$ 1,794, o dólar comercial caiu 3,99%, cotado a R$ 1,775 na compra e a R$ 1,777 na venda. Esta é a maior baixa diária desde o dia 24 de novembro de 2008, quando a divisa havia recuado 5,41%.

(com agências)

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.