Bovespa seguiu movimento positivo de EUA e Europa e subiu 1,24%. Dólar caiu 0,56%

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) subiu 1,24% nesta tarde, acompanhando movimento positivo em quase todos os principais mercados de ações do mundo. O Ibovespa fechou em 65.223 pontos.

A divulgação de dados econômicos da zona no euro acima das expectativas ajuda a animar os investidores. Os dados referentes ao produto interno bruto (PIB) da região deram alento ao mercado ao mostrarem que os países saíram da recessão. O PIB da zona do euro cresceu 0,2% no primeiro trimestre de 2010, em comparação com o trimestre anterior, depois de ter ficado estagnado nos últimos três meses de 2009. O número ficou um pouco acima da expectativa dos analistas.

Mais cedo, notícias de que a Espanha planeja acelerar sua consolidação fiscal para cumprir as metas revisadas de déficit aumentaram a confiança dos investidores na capacidade de países altamente endividados da periferia da zona do euro conseguirem promover medidas de austeridade fiscal. Sob pressão da União Europeia (UE) e dos mercados financeiros, o primeiro-ministro da Espanha, José Luis Rodríguez Zapatero, disse que seu país reduzirá em 5% os salários do funcionalismo público este ano e os manterá congelados em 2011.

Na Bovespa, o destaque foram as ações da própria Bolsa, que divulgou o balanço do primeiro trimestre do ano hoje. A ação ON liderou as altas do Ibovespa, com +7,76%. O volume financeiro foi o terceiro maior do dia, de R$ 460 milhões.

EUA

Em Nova York, Dow Jones subiu 1,38%, Nasdaq avançou 2,09% e S&P500 teve ganho de 1,37%.

Europa

Todos os principais mercados de ações da Europa fecharam em alta. O índice FTSE-100, da Bolsa de Londres, subiu 0,92%, encerrando o pregão em 5.383,45 pontos; em Paris, o CAC-40 avançou 1,10%, fechando em 3.733,87 pontos; o índice Dax, de Frankfurt, ganhou 2,41%, terminando a sessão em 6.183,49 pontos. Já o índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 1,45%, fechando em 256,60 pontos.

Os resultados financeiros do ING e da Allianz também ajudaram as bolsas de valores europeias a fechar em alta no primeiro dia de funcionamento de um governo de coalizão no Reino Unido. "Os investidores estão acompanhando atentamente as economias europeias para vislumbrar um modo de consertar os buracos no telhado para manter os esforços de recuperação. Com o anúncio, pela Espanha, de cortes agressivos, e com os indicadores sugerindo crescimento do PIB na Alemanha e na Itália, a confiança do investidor recebeu algum fôlego", opinou Giles Watts, da City Index.

Ásia

Após a queda generalizada registrada na terça-feira, os mercados da Ásia não apresentaram tendência definida nesta quarta-feira. Houve cautela por parte dos investidores, além da presença de "caçadores de barganhas" em alguns setores.

Na Bolsa de Hong Kong, houve leve queda, com a redução dos temores sobre a crise europeia e a recuperação nas ações do peso pesado HSBC. O índice Hang Seng caiu 65,98 pontos, ou 0,3%, e terminou aos 20.212,49 pontos.

A Bolsa de Xangai, na China, fechou em ligeira elevação por conta da presença de investidores em busca de ofertas de ocasião nos setores imobiliário e financeiro. Os ganhos, contudo, foram limitados pelos temores sobre a adoção de medidas para conter a liquidez. O índice Xangai Composto subiu 0,3% e encerrou aos 2.655,71 pontos. Já o índice Shenzhen Composto perdeu 1,2% e terminou aos 1.012,24 pontos.

Dólar

A moeda norte-americana caiu 0,56%, cotada em R$ 1,771 para compra e a R$ 1,773 para venda.

(com agências)

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.