A oferta de units do Banco Santander teve adesão de 291 investidores estrangeiros na oferta realizada no Brasil, de 224.704.745 units, das quais eles adquiriram 139.266.157, o equivalente a 61,98%.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237573612087&_c_=MiGComponente_C

No total, a oferta pública do Santander foi de 560.955.648 units, ao preço de R$ 23,50, com colocação também no exterior - esta de 300.295.255 units. Cada unit é formada por 55 ações ordinárias e 50 preferenciais.

Conforme registro na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) às vésperas da negociação das units na Bolsa, que se iniciou em 7 de outubro, a oferta alcançou R$ 14,1 bilhões, com a venda de 600 milhões de units.

No anúncio de encerramento, nesta terça-feira, o valor indicado é de R$ 13,182 bilhões. O banco explica que não foi exercido lote adicional (25 milhões de units) e que ocorreu atividade de estabilização pelo Credit Suisse, com aquisição de 32.774.700 units e venda de 524.700, entre 7 de outubro e 6 de novembro.

A oferta brasileira contou ainda com participação de 74,132 mil pessoas físicas, que adquiriram 21,24% das units. Fundos de investimento, 561 deles, responderam por 23,1% do total. Também participaram companhias 46 entidades de previdência privada (6.944.231 units), 801 clubes de investimento (1.273.066), duas companhias seguradoras (597 units), sete instituições financeiras (1.522.182), 1,3 mil pessoas jurídicas (2.838.203) e 24,4 mil pessoas ligadas ao banco ou aos participantes do consórcio (5.489.559).

No âmbito da oferta internacional, foram distribuídas 336.250.903 units sob a forma de ADS ao preço de US$ 13,4033, totalizando US$ 4,5 bilhões.

Leia mais sobre: Santander

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.