¿Para operar com derivativos, você tem de ter disciplina e boas ferramentas.¿ A frase é de Thiago Arantes, 30, que faz do mercado de derivativos o seu dia-a-dia. Começou a operar no pregão da antiga BM&F muito antes da fusão com a Bovespa, em 1997, como operador de uma corretora. Foi tomando gosto pelo mercado e decidiu trabalhar sozinho. http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2010/02/23/dobra+volume+de+pessoas+fisicas+nas+operacoes+com+derivativos+9405451.html target=_topDobra volume de pessoas físicas nas operações com derivativos http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2010/02/23/conheca+o+mercado+de+derivativos+9405456.html target=_topConheça o mercado de derivativos

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561231221&_c_=MiGComponente_C

Tricia Vieira
Thiago Arantes, ex-operador que negocia contratos de derivativos

Thiago Arantes, ex-corretor que negocia derivativos como pessoa física

Desde 2006, ele freqüenta uma sala disponível na Interfloat HZ Corretora. Arantes conta que começou com minicontratos de Ibovespa. É um mercado difícil. Você não pode começar com um volume grande. Eu iniciei com dois ou três minicontratos por dia, depois cinco e mais tarde dez contratos diários, conta. Hoje, o investidor diz que negocia mais ou menos mil contratos-padrão por dia, volume equivalente a R$ 70 milhões se levarmos em conta um Ibovespa na casa dos 70 mil pontos.

Arantes não conta quanto ganha, mas vive de suas operações de day trade (compra a venda no mesmo dia). Posso dizer que minha maior perda num dia foi duas ou três vezes maior que o meu maior ganho em um dia. Ele afirma que compra e vende contratos durante o dia todo. Eu entro e saio muito rápido, afirma, usando jargões do mercado para comprar e vender um mesmo contrato ou ativo. Perdendo ou ganhando, eu liquido a operação. Não fico posicionado para o dia seguinte.

O investidor lembra que, para começar, é preciso ter algum recurso como garantia. No mínimo seriam necessários de R$ 20 mil a R$ 30 mil. Para operar nos mercados futuros, são exigidos recursos à vista, ações ou títulos de renda fixa, que são dados em garantia para a Bolsa. Além disso, se ficar posicionado, ou seja, com um contrato de compra ou venda para o dia seguinte, a Bolsa calcula o valor do ajuste diário. Assim, o investidor tem de pagar ou receber uma parcela sobre o valor dos contratos diariamente. Nesse mercado, não é possível ter medo. Tem que saber perder e ter um colchão enquanto você aprende a operar, diz Arantes.

Leia mais sobre derivativos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.