Publicidade
Publicidade - Super banner
Mercados
enhanced by Google
 

Dólar segue com ligeira queda, a R$ 1,70 na venda

Clima de cautela deve prevalecer nos próximos dias, com a possibilidade de novas medidas para segurar valorização do real

Valor Online |

O dólar opera no território negativo desde o início dos negócios na manhã de terça-feira. O mercado parece estar mais tranquilo, em comparação com o pregão de ontem, quando os investidores repercutiram a informação de que o governo poderia extinguir a isenção do Imposto de Renda para estrangeiros que investiam em títulos públicos brasileiros.

Neste momento, os agentes estão aguardando notícias dos Estados Unidos e a abertura das bolsas em Wall Street. Por volta das 10h40, o dólar comercial registrava ligeira queda de 0,05%, cotado a R$ 1,698 na compra e a R$ 1,700 na venda. No mercado futuro, o contrato de novembro negociado na BM&F subia 0,38%, a R$ 1,704. O euro operava estável ante o dólar, saindo a US$ 1,3977. Já o índice CRB, que mede o desempenho de uma cesta de commodities, registrava ligeira queda de 0,09%.

A tendência, nos próximos pregões, é que o mercado "ande de lado", em clima de cautela, porque ao mesmo tempo em que espera que o governo anuncie novas medidas para impedir a valorização do real, é forte a expectativa de o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) injetar mais liquidez na economia, decisão que pode ser anunciada na reunião a ser realizada no início do mês que vem.

Ontem, o dólar passou parte do dia em queda, de certa forma acompanhando a desvalorização da moeda americana ante outras moedas, como o euro e o iene. Porém, os investidores repercutiram mais a possibilidade de retorno do IR para estrangeiros que compram títulos públicos brasileiros. A calmaria veio somente depois de o ministro da Fazenda, Guido Mantega, negar que essa medida poderia ser tomada.

Mas o mercado não está totalmente convencido, uma vez que, ontem mesmo, Mantega afirmou que o governo fará novas ofertas de bônus em reais no exterior, ainda neste ano. A reabertura do bônus BLR 2028 na semana passada, a primeira desde 2007, representa o início de uma série de emissões. Nessa operação, foram vendidos R$ 1 bilhão nos Estados Unidos e Europa e R$ 100 milhões na Ásia.

O objetivo do governo é manter o interesse do investidor estrangeiro pelos títulos brasileiros de longo prazo, sem que seja necessário o ingresso de dólares no país. Além disso, o ministro voltou a fazer ameaças, ao comentar que, entre "as armas" que dispõe para combater "a guerra cambial", a de "grosso calibre" ainda não foi usada. Ele disse ainda que espera não ter que adotar novas medidas internas, de forma isolada dos demais parceiros internacionais.

Na agenda de indicadores do exterior, a agência de estatísticas ONS divulgou que a economia do Reino Unido cresceu 0,8% no terceiro trimestre, segundo dados preliminares. O ritmo da expansão foi mais brando do que aquele verificado nos três meses anteriores, quando o Produto Interno Bruto (PIB) avançou 1,2%, porém o resultado surpreendeu positivamente os economistas. A projeção inicial era de uma alta de 0,4% no produto britânico.

Leia tudo sobre: Finanças

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG