Publicidade
Publicidade - Super banner
Mercados
enhanced by Google
 

Dólar segue com leve valorização, cotado a R$ 1,723 na venda

SÃO PAULO - O dólar continua operando com ligeira alta, enquanto os agentes do mercado permanecem atentos à definição do preço das ações que a Petrobras emitirá na oferta pública e aos passos do governo para conter a valorização do real. Por volta das 12h10, o dólar comercial registrava leve alta de 0,11%, cotado a R$ 1,721 na compra e a R$ 1,723 na venda.

Valor Online |

SÃO PAULO - O dólar continua operando com ligeira alta, enquanto os agentes do mercado permanecem atentos à definição do preço das ações que a Petrobras emitirá na oferta pública e aos passos do governo para conter a valorização do real. Por volta das 12h10, o dólar comercial registrava leve alta de 0,11%, cotado a R$ 1,721 na compra e a R$ 1,723 na venda. No mercado futuro, o contrato de outubro negociado na BM&F tinha valorização de 0,17%, a R$ 1,725. A diretora de câmbio da AGK Corretora de Câmbio, Miriam Tavares, lembra que há duas forças atuando sobre o preço do dólar: a expectativa de fluxo de recursos, por conta das captações de empresas no exterior, e a possibilidade de aquisição forte de dólares pelo Fundo Soberano. "O governo vai comprar o que prometeu, o excesso de dólares provenientes da operação da Petrobras", afirma. Miriam avalia ainda que boa parte dos recursos da operação já ingressou no país. A agenda de indicadores do dia trouxe boas e más notícias. O Departamento do Trabalho dos Estados Unidos divulgou que os novos pedidos de seguro-desemprego no país aumentaram em 12 mil na semana terminada no dia 18 deste mês, somando 465 mil, número que surpreendeu negativamente o mercado. Por outro lado, o índice econômico do Conference Board subiu 0,3% em agosto, para 110,2, após alta de 0,1% em julho. O resultado ficou acima do esperado pelos analistas. Em Wall Street, os investidores repercutiam o dado referente ao mercado de trabalho americano e os índices Dow Jones e S&P 500 tinham, instantes atrás, recuo de 0,1% e 0,19%, respectivamente. Na Europa, a empresa de pesquisas Markit Economics divulgou que a leitura preliminar do Índice dos Gerentes de Compras (PMI) na zona do euro passou de 56,2 pontos em agosto para 53,8 pontos neste mês, o menor nível em sete meses, indicando desaceleração na atividade econômica. Além disso, os investidores souberam que o Produto Interno Bruto (PIB) da Irlanda recuou 1,2% no segundo trimestre ante o primeiro, quando o país tinha crescido 2,2%. Nesta manhã, o euro já devolve parte do ganho obtido nas últimas sessões, registrando, há pouco, desvalorização de 0,36% ante o dólar, a US$ 1,3338. Para Miriam, a recente alta da moeda comum europeia ante o dólar não faz sentido, uma vez que a Europa passa por problemas similares aos dos Estados Unidos. "As duas regiões apresentam os mesmos problemas: atividade fraca e déficit público alto", analisa. (Karin Sato | Valor)

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG