Tamanho do texto

SÃO PAULO - Encorajados pela melhoria do ambiente global, os vendedores voltam a atuar no mercado de câmbio local, mas o movimento de baixa encontra seria resistência na linha de R$ 1,770. Depois de ensaiar alta e bater US$ 1,786, por volta das 12h30, o dólar comercial era negociado a R$ 1,770 na compra e R$ 1,772 na venda, queda de 0,56%. Na mínima, a moeda foi a R$ 1,768.

SÃO PAULO - Encorajados pela melhoria do ambiente global, os vendedores voltam a atuar no mercado de câmbio local, mas o movimento de baixa encontra seria resistência na linha de R$ 1,770. Depois de ensaiar alta e bater US$ 1,786, por volta das 12h30, o dólar comercial era negociado a R$ 1,770 na compra e R$ 1,772 na venda, queda de 0,56%. Na mínima, a moeda foi a R$ 1,768. No mercado futuro, o dólar com vencimento em agosto, negociado na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), apresentava queda de 0,50%, a R$ 1,779. A perda de valor do dólar é generalizada. O Dollar Index, que mede o comportamento da moeda americana ante uma cesta de divisas, opera em baixa nesta quarta-feira. Um bom sinal de aumento no apetite por risco é queda no VIX, índice que mede a volatilidade das opções do mercado americano. O indicador recuava mais de 7%, operando na linha dos 27 pontos. Outra indicação de maior confiança é a valorização no preço das commodities. O barril de WTI subia mais de 2%, valendo mais de US$ 73,00. Nas bolsas, o Dow Jones ganhava 1,24% e o S & P 500 tinha acréscimo de 1,26%. Por aqui, o Ibovespa apontava valorização de 1,06%. A questão agora é saber se esse bom humor todo sobrevive ao período da tarde. Ontem, por exemplo, as bolsas americanas e as commodities perderam sustentação, somando instabilidade a outros mercados. (Eduardo Campos | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.