O dólar encerrou os negócios desta quinta-feira em leve alta. A moeda norte-americana fechou o dia cotada a R$ 1,792 para venda, em valorização de 0,11% frente ao real. Ontem, o dólar havia subido 0,39%, a R$ 1,790.

No mercado acionário, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) tem um dia de oscilação. Por volta das 16h22, o Ibovespa - a principal referência da bolsa paulista - subia 0,19%, aos 67.772 pontos. Durante a maior parte do dia, no entanto, a bolsa operou em queda.

A maior cautela do mercado hoje se deve às más notícias chinesas e à preocupação remanescente com a situação grega.

No Brasil, o dia teve três dados industriais. A produção industrial de janeiro avançou 1,1% frente ao mês anterior, na série livre de influências sazonais, eliminando a variação negativa de 1,0% acumulada nos dois meses anteriores, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira.

Já a produção da indústria automobilística brasileira somou 253,2 mil veículos no mês passado, uma alta de 23,9% em relação ao mesmo mês de 2009 (204,4 mil unidades).

Mas as vendas reais da indústria brasileira como um todo apresentaram em janeiro queda de 3,6% em relação ao mês anterior pelo critério dessazonalizado. Sem ajuste, o recuo foi mais acentuado, de 17,3% - o pior da série iniciada em 2003.

EUA

Em relatório, o Banco Fator diz que o índice S&P futuro opera perto da estabilidade. Livro bege do Fed descreveu a atividade econômica americana como se recuperando, porém ainda modestamente. Pressões de preços ainda são mínimas e a demanda por empréstimos e no mercado de trabalho continua reduzida.

Europa

As bolsas europeias finalizaram uma sessão irregular em leve queda, tendo operado em terreno negativo na maior parte do dia, depois de o Banco Central Europeu e do Banco da Inglaterra terem mantido suas taxas de juros em níveis ultra baixos. Embora o índice pan-europeu Dow Jones 600 tenha finalizado em alta de 0,2% a 253,00 pontos, os principais índices regionais fecharam a sessão em queda.

O índice FTSE 100 da Bolsa de Londres caiu 0,11% para 5.527,16 pontos, enquanto o índice alemão DAX perdeu 0,39% para 5.795,32 pontos. O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, cedeu 0,37% para 3.828,41 pontos. O índice IBEX35 da Bolsa de Madri teve alta de 0,76% para 10.745,30 pontos.

Ásia

Os mercados asiáticos fecharam no campo negativo nesta quinta-feira. Houve forte queda em algumas bolsas, a maioria delas influenciadas pela realização de lucros e pelo comportamento baixista de Wall Street. com investidores preocupados com predição do Banco Industrial da China que novos empréstimos cairão 50% esse ano.

A Bolsa de Hong Kong sofreu com a realização de lucros em ações de bancos chineses, enquanto China Mobile teve declínio devido às preocupações referentes a seu plano de comprar uma participação no Shanghai Pudong Development Bank. O índice Hang Seng perdeu 301,01 pontos, ou 1,4% e terminou aos 20.575,78 pontos.

Do mesmo modo, os investidores decidiram realizar lucros nas Bolsas da China, à véspera da abertura do Congresso Nacional do Povo. O índice Xangai Composto perdeu 2,4% e encerrou aos 3.023,37 pontos - foi a maior queda porcentual diária em cinco semanas. Já o Shenzhen Composto caiu 3% e terminou aos 1.154,40 pontos.

(*Com informações da Agência Estado e do Valor Online)

Leia mais sobre: mercados

    Leia tudo sobre: bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.