Publicidade
Publicidade - Super banner
Mercados
enhanced by Google
 

DIs se ajustam para baixo na BM & F

SÃO PAULO - Os contratos de juros futuros voltam a mostrar uma correção para baixo na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F) nos negócios iniciais de agosto, a exemplo do que foi verificado ao longo de grande parte do mês passado. Na ponta mais longa da curva, há pouco, o Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2012 recuava 0,01 ponto percentual, para 11,46%, enquanto os DIs dos primeiros meses de 2013 e de 2014 cediam 0,06 ponto e 0,08 ponto, ambos a 11,80%. Entre os vencimentos mais curtos, o DI com vencimento em outubro de 2010 perdia 0,01 ponto, a 10,71%, enquanto o DI de janeiro de 2011 subia 0,01 ponto, a 10,78%. Em um dia de agenda fraca de indicadores, o Boletim Focus, do Banco Central, mostrou alterações das previsões do mercado para 2010, após a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de aumentar a Selic em 0,5 ponto percentual e da justificativa de que os riscos para a trajetória da inflação diminuíram. Segundo a última pesquisa Focus, a previsão do mercado para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) neste ano caiu de 5,35% para 5,27%. Para 2011, os analistas mantiveram a estimativa de alta de 4,80%.

Valor Online |

SÃO PAULO - Os contratos de juros futuros voltam a mostrar uma correção para baixo na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F) nos negócios iniciais de agosto, a exemplo do que foi verificado ao longo de grande parte do mês passado. Na ponta mais longa da curva, há pouco, o Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2012 recuava 0,01 ponto percentual, para 11,46%, enquanto os DIs dos primeiros meses de 2013 e de 2014 cediam 0,06 ponto e 0,08 ponto, ambos a 11,80%. Entre os vencimentos mais curtos, o DI com vencimento em outubro de 2010 perdia 0,01 ponto, a 10,71%, enquanto o DI de janeiro de 2011 subia 0,01 ponto, a 10,78%. Em um dia de agenda fraca de indicadores, o Boletim Focus, do Banco Central, mostrou alterações das previsões do mercado para 2010, após a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de aumentar a Selic em 0,5 ponto percentual e da justificativa de que os riscos para a trajetória da inflação diminuíram. Segundo a última pesquisa Focus, a previsão do mercado para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) neste ano caiu de 5,35% para 5,27%. Para 2011, os analistas mantiveram a estimativa de alta de 4,80%. Já a projeção média do mercado financeiro para a inflação oficial acumulada nos próximos 12 meses teve pequena alta, ao passar de 4,93% para 4,97%. A previsão para os juros básicos ao fim de 2010, por sua vez, recuou de 11,75% para 11,50%. Na avaliação do economista-sênior do BES Investimentos, Flávio Serrano, as alterações expostas pelo Focus têm pouca relevância para o mercado, dado que nada foi alterado num horizonte mais distante. "A ata do Copom já mostrou um Banco Central mais confortável com a inflação e com uma sinalização de que o aperto monetário poderá ser encerrado em breve. O mercado ainda deverá ajustar suas previsões para a Selic nos próximos boletins Focus. Há um movimento geral de realinhamento das expectativas, uma perda de prêmios de risco, e ainda há espaço para mais quedas, embora estejamos próximos do fim dos ajustes no mercado de juros futuros", pontuou. Para a semana, Serrano destaca os números da produção industrial de junho, que serão divulgados amanhã, e o IPCA de julho, que será publicado na sexta-feira e que poderá trazer volatilidade para o mercado. (Beatriz Cutait | Valor)

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG