O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) desembolsou R$ 8,3 bilhões em fevereiro, com alta de 66% na comparação com o mesmo mês de 2009. Em janeiro, os desembolsos foram de R$ 7,7 bilhões, com aumento de 74%. Segundo comunicado do banco estatal de fomento, os desembolsos chegaram a R$ 143,3 bilhões em 12 meses até fevereiro, com alta de 53% na comparação com igual período anterior.

O banco informa que as aprovações de empréstimos, no valor de R$ 169,1 bilhões nos últimos 12 meses, cresceram 39%, indicando tendência firme no nível de atividade do BNDES. As consultas por financiamentos subiram 37%, com total de R$ 229 bilhões, também nos 12 meses encerrados em fevereiro.

Apesar dos desembolsos crescentes em janeiro e fevereiro, a expectativa é que o Banco encerre 2010 com liberações inferiores às registradas no ano passado, de R$ 137,4 bilhões. Isso porque o crescimento excepcional do BNDES em 2009 foi, em grande medida, consequência das medidas anticrise implementadas pelo governo federal, das quais o BNDES é um dos principais instrumentos, afirma o texto.

Nos dois primeiros meses de 2010, as consultas ao BNDES somaram R$ 24,6 bilhões (R$ 8,3 bilhões em janeiro e R$ 15,73 bilhões em fevereiro), com alta de 25% em relação a iguais meses de 2009. As aprovações, porém, no total de R$ 14,4 bilhões, caíram 7% no primeiro bimestre do ano em relação a janeiro/fevereiro do ano anterior.

Segundo o comunicado, no mês de fevereiro, os desembolsos no setor da indústria alcançaram R$ 2,5 bilhões, com expansão de 27,8%. No primeiro bimestre do ano, os desembolsos à indústria somaram R$ 5,3 bilhões. Em 12 meses até fevereiro último, a alta foi de 44%, com R$ 64,2 bilhões destinados ao setor industrial. Os maiores desembolsos foram para os setores de alimento e bebida, têxtil e vestuário e mecânica.

Para infraestrutura, o BNDES informa que liberou R$ 2,7 bilhões em fevereiro, com crescimento de 73% em relação a fevereiro de 2009. No primeiro bimestre, a infraestrutura recebeu R$ 5,7 bilhões, com aumento de 98% sobre iguais meses do ano anterior. Os destaques foram para transporte rodoviário, telecomunicações e energia elétrica.

Mas, em termos relativos, o maior crescimento nos desembolsos de janeiro/fevereiro ocorreu no setor de comércio e serviços, com alta de 156% e R$ 3,3 bilhões liberados, afirma o comunicado. O resultado é explicado, em grande parte, pelas liberações no âmbito do BNDES-Programa Especial de Crédito (PEC) ¿ financiamento a capital de giro. O prazo para apresentação de pedidos de financiamento no âmbito do programa terminou no final de 2009, mas ainda há operações em fase de contratação e desembolso. No primeiro bimestre deste ano, os desembolsos do PEC ao setor somaram cerca de R$ 980 milhões.

Leia mais sobre BNDES

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.