O principal desafio dos bancos para os próximos anos é emprestar recursos de longo prazo, avalia o presidente do Santander e da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Fabio Barbosa

selo

O principal desafio dos bancos para os próximos anos é emprestar recursos de longo prazo, avalia o presidente do Santander e da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Fabio Barbosa. "A economia vai demandar mais financiamento de infraestrutura do que do consumo", diz ele.

Atualmente, os bancos não emprestam recursos com prazo longo porque só conseguem captar dinheiro de curto prazo. "Por isso a dificuldade, mas queremos ganhar peso no financiamento do crescimento da economia", diz Barbosa.

As letras financeiras, espécie de debêntures que podem ser emitidas por bancos, reguladas em fevereiro pelo Banco Central (BC), é um primeiro passo para os bancos conseguirem captar recursos de mais longo prazo, avalia o presidente do Santander. O banco espanhol emitiu R$ 500 milhões em letras este ano.

Barbosa diz haver uma agenda convergente entre os bancos privados e o governo para que os bancos aumentem a participação no financiamento da economia e façam crédito de longo prazo. Para ele, precisa ser criado um arcabouço jurídico para os bancos fazerem isso. Esse arcabouço permitirá, por exemplo, fontes de longo prazo.

Fabio Barbosa participou hoje de um evento da revista Banco Hoje, que premiou os destaques em cada segmento. O executivo foi o premiado no setor financeiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.