Empréstimos aumentaram US$ 2,1 bilhões em setembro. Expectativa de economistas era de queda de US$ 3 bilhões

selo

O crédito ao consumidor nos EUA aumentou US$ 2,1 bilhões em setembro, para US$ 2,412 trilhões, interrompendo uma sequência de sete meses seguidos de contração, de acordo com dados do Federal Reserve (Fed, banco central americano). Economistas consultados pela Dow Jones esperavam uma queda de US$ 3 bilhões.

De acordo com o relatório do Fed, o crédito rotativo - ou uso do cartão de crédito - encolheu pelo 25º mês consecutivo em setembro, a uma taxa de 12,1%, ou US$ 8,3 bilhões, para US$ 813,9 bilhões, enquanto o crédito não-rotativo - que corresponde aos empréstimos para, por exemplo, a compra de automóveis - cresceu 7,9%.

Em agosto, o crédito ao consumidor caiu US$ 4,9 bilhões, em dado revisado. Originalmente, o Fed havia divulgado uma queda de US$ 3,3 bilhões. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.