Tamanho do texto

Serão discutidos risco de crédito, taxa de endividamento e padrões globais de liquidez

selo

Representantes de bancos centrais e órgãos reguladores do setor financeiro internacional anunciaram nesta segunda-feira que chegaram a um "acordo amplo" sobre o formato de uma reforma da regulamentação sobre capital e liquidez. A calibragem dessa reforma e os prazos para sua implementação gradual deverão ser discutidos em nova reunião, em setembro.

Em comunicado divulgado ao fim da uma reunião na Suíça, o Comitê de Supervisão Bancária da Basileia disse que o acordo inclui a definição de capital, o tratamento dos riscos de crédito de contrapartes, a taxa de alavancagem e os padrões globais de liquidez. Detalhes da regulamentação de colchões de liquidez serão definidos até o fim do ano.

"Os acordos alcançados hoje são um marco que fortalece a capacidade de resistência do setor bancário em uma forma que reflete as lições da crise", disse o presidente do Banco Central Europeu (BCE) e presidente do Grupo de Diretores e Chefes de Supervisão, Jean-Claude Trichet. Segundo ele, o grupo "assegurou que as reformas sejam rigorosas e promovam a estabilidade do sistema bancário no longo prazo". "Vamos implementar os arranjos da transição e assegurar que o setor bancário seja capaz de dar apoio à recuperação econômica."

O presidente do Comitê da Basileia e presidente do Banco Central da Holanda, Nout Wellink, afirmou que os arranjos para a implementação gradual da reforma "vão permitir que o setor bancário se adapte aos novos padrões por meio de uma retenção razoável de lucros e elevação dos níveis de capital". Ele acrescentou que muitas instituições financeiras já deram "passos substanciais" para o fortalecimento de sua base de capital e de liquidez. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.