Paulo Caffarelli, presidente da associação das empresas de cartões de crédito, afirma que as novas regras são um divisor de águas

O setor de cartões de crédito irá passar por profundas mudanças a partir de 1º de julho. Acaba a exclusividade no uso das maquininhas instaladas no varejo pelas empresas credenciadas. Cada máquina, independente de a qual empresa (adquirente) pertença, passará a aceitar todos os cartões de crédito e débito, aumentando a concorrência entre as bandeiras. O comerciante que usa hoje dois equipamentos poderá devolver um. Esse é apenas um dos pontos da abertura de mercado do setor, promovida por meio da negociação entre o Banco Central, o Ministério da Justiça e a Associação Brasileiras Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs). Em entrevista exclusiva ao iG , Paulo Caffarelli, presidente da Abecs e vice-presidente da área de cartões do Banco do Brasil, afirma que as mudanças “são um marco divisório na indústria de cartões”.

null

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.