Publicidade
Publicidade - Super banner
Mercados
enhanced by Google
 

Capitalização da Petrobras pode ter mais de US$ 30 bi da União

Estatal precisa de US$ 25 bilhões para fazer frente ao plano de investimentos. Cessão onerosa amplia operação

Sabrina Lorenzi, iG Rio de Janeiro |

A parcela da União no aumento de capital da Petrobras pode passar de US$ 30 bilhões, a depender do apetite dos minoritários pelos papéis da companhia, segundo revela uma fonte ligada à estatal. A operação prevê duas frentes para levantamento de recursos: a oferta de ações e também a chamada cessão onerosa, aprovada nesta quinta-feira pelo Senado, em um total de cerca de US$ 50 bilhões. Mas, se a União participar também da oferta de ações ao mercado, o lançamento de papéis, sozinho, poderá superar US$ 55 bilhões (cerca de R$ 100 bilhões). O limite para o aumento de capital é de R$ 150 bilhões, estabelecidos pelo Conselho de Administração da estatal.

O valor da cessão onerosa considera que cada barril de óleo localizado nas reservas do pré-sal seja vendido na faixa de US$ 5 a US$ 6 da União para a Petrobras. O valor é estimado por analistas que acompanham o processo. O projeto de lei aprovado pelo Congresso permite a venda de até 5 bilhões de barris das reservas da província localizada a seis mil metros de profundidade na Bacia de Santos. A Petrobras comprará o petróleo provavelmente com títulos que, em seguida, serão devolvidos à estatal em troca de ações.

Selmy Yassuda
Pelo projeto de lei aprovado nesta quinta-feira pelo Senado, a União pode ceder 5 bilhões de barris das reservas do pré-sal à Petrobras


Paralelamente ao aumento de capital com cessão onerosa, a Petrobras ofertará ações ao mercado para levantar recursos necessários à exploração do pré-sal. A fonte confirma a necessidade de captar US$ 25 bilhões por meio de oferta de ações no mercado para fazer frente ao megaplano de investimentos da estatal, estimado entre R$ 200 bilhões e R$ 220 bilhões para os próximos cinco anos.

Não está claro, porém, se além da cessão onerosa, a União participará da oferta de ações, podendo entrar com dinheiro além de títulos. Segundo a fonte, existe essa possibilidade e, neste caso, a oferta de ações alcançará um valor ainda maior que os cerca de US$ 50 bilhões estimados inicialmente.

Por dois motivos, o governo tende a ampliar a participação do capital na empresa, que atualmente é de 32% das ações. O mercado avalia que a procura dos acionistas minoritários pelos papéis da empresa não vai acompanhar a necessidade de capitalização da Petrobras. Além disso, fontes que acompanham o processo confirmam que a União tem interesse em ampliar presença no controle e diluir a participação de terceiros, principalmente estrangeiros.



Os estrangeiros detém 38% do capital da Petrobras, seja por meio de ADR´s negociados no exterior (29%), ou por meio de ações na própria Bovespa (9%). Investidores brasileiros detêm 22,2%, sem contar com a parcela de 7,7% do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Os dados são da Petrobras com base no último relatório anual, de 2009.

A Petrobras não informa quando iniciará o processo de capitalização. A empresa convocou assembleia de acionistas para definir o valor total da oferta de ações, no dia 22 de junho.
 

Leia tudo sobre: capitalizaçãopetrobraspré-salUnião

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG