Publicidade
Publicidade - Super banner
Mercados
enhanced by Google
 

Brasilprev quer subir do sexto para o quarto lugar em ativos

Total de recursos sob gestão alcança hoje R$ 30,8 bilhões; empresa é líder em captação líquida

Valor Online |

 O novo presidente da Brasilprev, Sérgio Rosa, terá o desafio de fazer com que a empresa avance de sexta colocada em total de ativos sob gestão para a quarta posição até 2012. Em evento para o anúncio do novo comando da instituição, Tarcísio Godoy, que preside a Brasilprev até 10 de setembro, data a partir da qual Rosa assume o cargo, afirmou que em 2011 a empresa já estará na quinta posição do ranking liderado pela Previ.

"O foco da Brasilprev é buscar a liderança em total de ativos no mercado de previdência aberta e, no longo prazo, alcançar a liderança em previdência privada", afirmou Godoy. Hoje o total de ativos sob gestão da Brasilprev alcança R$ 30,8 bilhões nos dados de junho deste ano, enquanto no fim de 2009, totalizavam R$ 26,9 bilhões. Para alcançar a meta desenhada para a Brasilprev, o novo comando da empresa , segundo Godoy, deverá continuar os treinamentos na rede de distribuição (Banco do Brasil) e manter a oferta de bons produtos. "Aquisições não estão nesse plano", afirmou o executivo.

Quando questionado sobre o motivo da troca, Godoy afirmou que trata-se "apenas de um ciclo que terminou", após quase três anos à frente da Brasilprev. Funcionário do Tesouro Nacional por 15 anos, o executivo afirmou que está analisado novas oportunidades no setor privado o no governo. Sérgio Rosa, que foi indicado para o cargo pelo Conselho de Administração da empresa há cerca de duas semanas, liderou de janeiro de 2003 a maio de 2010 a Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ).

A Brasilprev atualmente é líder em captação líquida, com R$ 3 bilhões e 30% do market share em junho de 2010. A empresa fechou o semestre com lucro de R$ 138,1 milhões. Sérgio Rosa foi acusado pelo seu ex-assessor Gerardo Santiago de fabricar dossiês contra adversários do PT. Sobre isso, o executivo evitou fazer comentários e afirmou que "o assunto está encerrado".

Leia tudo sobre: BrasilprevsegurosprevidênciaBanco do BarsilBB

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG