Tamanho do texto

Na Ásia e na Europa, mercados também registram ganhos

Embora tenha iniciado o dia em baixa, com o humor dos investidores pressionados pelo resultado das vendas do varejo americano, o mercado brasileiro inverteu o rumo no pregão, acompanhando o cenário externo.

Logo cedo, o Departamento do Comércio dos Estados Unidos revelou que as vendas varejistas do país surpreenderam negativamente, ao recuar 1,2% de abril para maio. Os dados deram um tom negativo para o pregão, que levaram o Ibovespa a marcar pontos na mínima do dia. Pouco antes das 11h, entretanto, as bolsas americanas, que também estavam em queda, passaram para o campo positivo, com o indicador da Universidade de Michigan.

De acordo com a instituição, uma leitura preliminar do sentimento de confiança do consumidor americano indicou uma melhora de maio para junho, ao passar de 73,6 para 75,5. Às 11h45, o Ibovespa subia 0,21%, aos 63.179 pontos.

Os m ercados acionários asiáticos fecharam em alta pelo quarto dia seguido nesta sexta-feira, refletindo com uma retomada no otimismo sobre a recuperação global apesar da crise europeia. Na última sessão, bolsas globais foram influenciadas por dados positivos da economia chinesa.

Na Europa, a maioria das bolsas registra alta nesta sessão, com ações de bancos e empresas do setor de energia puxando os ganhos e com boas notícias econômicas. Na região, pesam positivamente o fato de a Espanha ter vendido US$ 3,9 bilhões em bônus de três anos, o que reduz a preocupação dos investidores sobre o apetite pela dívida dos países europeus. Além disso, ontem, Jean-Claude Trichet, o presidente do Banco Central Europeu (BCE), anunciou de que os empréstimos emergenciais de três meses continuarão até setembro. Na Alemanha, uma corte da Justiça rejeitou os esforços para se bloquear as garantias alemãs ao pacote de ajuda da zona do euro.

No cenário brasileiro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje o  emprego na indústria , que registrou alta de 0,4% no mês de abril, frente a março. Foi a quarta alta mensal consecutiva.   inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) , usada como referência para reajuste de valores de aluguéis, variou 2,21%, no primeiro decêndio do mês de junho, entre os dias 21 e 31 do mês de maio, segundo informações divulgadas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Dólar

O dólar iniciou os negócios desta sexta-feira em baixa , pelo quarto dia. No entanto, por volta de 10h15 a moeda mostrava recuperação e subia . Às 11h45, a alta era de 0,21%, para R$ 1,8036 na venda.

(Com agências)

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.