A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu em fraca alta nesta sexta-feira, dia de agenda esvaziada, sem indicadores previstos tanto no Brasil, como nos Estados Unidos. No entanto, por volta de 15h45, o Ibovespa - principal índice da Bolsa - registrava desvalorização de 0,84%, aos 69.114 pontos.

Ontem, o Ibovespa encerrou o pregão praticamente estável, com queda de 0,04%, aos 69.697 pontos, e girou R$ 5,657 bilhões.

Após o fechamento do mercado, a Petrobras divulgará suas informações financeiras relativas ao último trimestre de 2009 e ao fechamento do calendário.

A divulgação aconteceria no dia 26 de fevereiro, mas foi adiada na véspera por problemas de agenda dos conselheiros da companhia, que têm de se reunir para aprovar os números.

Ontem, as ações preferenciais da estatal cederam 0,34%, a R$ 37,02, com volume de R$ 446,5 milhões.

Também devem voltar às atenções dos agentes os papéis de empresas pertencentes ao grupo EBX, do empresário Eike Batista.

A oferta de ações da OffShore Services X (OSX), futuro estaleiro a ser instalado em Santa Catarina pelo grupo EBX, conseguiu levantar apenas R$ 2,817 bilhões, bem abaixo dos R$ 9,9 bilhões que a operação poderia alcançar inicialmente.

Os papéis foram vendidos a R$ 800,00 cada, o que representa um desconto de 20% em relação ao piso do intervalo de preço sugerido inicialmente, que variava de R$ 1.000 a R$ 1.333,00. Ao todo, foram colocadas 3.522.450 ações ordinárias, ante a expectativa anterior de 5.511.739 ações.

Bolsas internacionais

No front europeu, representantes do governo da Alemanha disseram que Berlim não está descartando auxílio financeiro do Fundo Monetário Internacional (FMI) à Grécia, mas notaram que não é necessária nenhuma decisão neste momento.

As bolsas da Europa  fecharam a última sessão da semana em baixa, pressionadas especialmente pelas mineradoras, que recuaram depois de o banco central da Índia elevar as taxas de juros. O Banco da Reserva da Índia surpreendeu os mercados com um aumento nas taxas de juro de referência da economia em 0,25 ponto porcentual, citando a necessidade de ancorar as expectativas inflacionárias.

A Bolsa de Nova York abriu o dia em alta, em uma sessão em que o vencimento quádruplo e a agenda vazia de indicadores econômicos tende a provocar volatilidade. Às 10h42 (de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,15%, o Nasdaq avançava 0,01% e o S&P 500 registrava alta de 0,09%.

Na Ásia, o mercado fechou em alta, ainda repercutindo os indicadores americanos positivos revelados ontem. O Shanghai Composite, de Xangai, aumentou 0,71%. Em Tóquio, o índice Nikkei 225 teve alta de 0,75%, enquanto, em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 0,19%, e em Seul, o Kospi teve ganho de 0,65%.

Dólar

No mercado de câmbio, o dólar voltou a ganhar força sobre o real. Às 15h41, a moeda americana tinha valorização de 0,50%, a R$ 1,797. No cenário externo, o euro estava estável e a libra declinava sobre o dólar.

(Com Valor Online)

Leia mais sobre: mercados

    Leia tudo sobre: bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.