A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em alta nesta terça-feira, dando continuidade ao desempenho positivo da última sessão, quando subiu mais de 1%. O Ibovespa, principal índice da Bolsa, registrava ganho de 1,09% às 13h55, a 67.959 pontos.

Em um dia de poucos indicadores, os analistas do Banco Fator acreditam que a bolsa brasileira deverá seguir o movimento de leve alta do exterior.

Dólar

O dólar comercial opera em queda nesta terça-feira. Às 13h55, a moeda era cotada a R$ 1,783 na venda, em desvalorização de 0,84% frente ao real. Na segunda-feira, o dólar fechou cotado a R$ 1,799 para venda.

Por enquanto, o mercado de moedas parece concordar com as palavras do Fundo Monetário Internacional (FMI), que declarou que a força nos mercados emergentes está levando a uma recuperação econômica mais forte que a antecipada. Ontem, enquanto moedas fortes como a libra e o euro sucumbiam diante dos problemas econômicos e políticos regionais, as divisas emergentes passaram o dia em alta, com os investidores mostrando disposição em apostar na força desses países.

Os investidores estrangeiros apostam no real e continuam desmanchando as posições compradas em dólar, assumidas na onda mais recente de cautela. Esses investidores venderam quase 11 mil contratos futuros de dólar ontem, fechando o pregão comprados em cerca de 47 mil contratos. Na sexta-feira, eles tinham se desfeito de mais de 17 mil contratos. "Eles estão fazendo um ajuste a favor do real, em função de expectativas de fluxo positivo", disse um profissional de mercado, mostrando sintonia com o relatório do FMI.

Bolsas

As bolsas europeias marcaram o terceiro dia de alta, impulsionadas por montadoras, bancos e companhias aéreas. Mais uma vez, as atenções estiveram voltadas para a Grécia, que deve anunciar novas medidas para reduzir seu déficit fiscal.

Em Londres, o FTSE 100 subiu 1,45%, para 5.484 pontos. Em Paris, o CAC 40 ganhou 1,12% e fechou aos 3.812 pontos. Em Frankfurt, o DAX avançou 1,10%, para 5.777 pontos.

Os mercados asiáticos fecharam sem sinal uniforme nesta terça-feira. Algumas bolsas seguiram a alta nos Estados Unidos. Os setores de metais e de recursos naturais continuaram a influenciar fortemente os pregões, ainda como reflexo do terremoto que abalou o Chile.

A Bolsa de Tóquio fechou com ganhos modestos pelo terceiro dia consecutivo, uma vez que as ações de tecnologia, como Tokyo Electron, Advantest e Toshiba, ajudaram a compensar a influência do fraco sentimento das bolsas chinesas. O índice Nikkei 225 ganhou 49,78 pontos, ou 0,5%, e fechou aos 10. 221,84 pontos.

A Bolsa de Hong Kong encerrou em queda, após o peso pesado HSBC apresentar forte baixa devido a seus decepcionantes resultados em 2009. Os ganhos nos bancos chineses, contudo, ajudaram a diminuir o declínio. O índice Hang Seng perdeu 150,82 pontos, ou 0,7% e terminou aos 20.906,11 pontos.

(*Com informações da Agência Estado e Valor Online)

Leia mais sobre: mercados

    Leia tudo sobre: bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.