Banco poderá explorar licença exclusiva para fundo de Índice Financieiro da Bolsa por três anos

SÃO PAULO - O Itaú Unibanco venceu a concorrência promovida pela BM&FBovespa para a escolha do gestor do ETF IFNC, novo fundo referenciado no Índice Financeiro (IFNC) da Bolsa. A disputa contou com a participação de quatro instituições. O Itaú apresentou o maior compromisso de volume financeiro e poderá explorar a licença exclusiva para o ETF IFNC por três anos.

O contrato será assinado entre a Bolsa e o banco nos próximos 15 dias. Após a concessão das autorizações para funcionamento e registro do fundo por parte da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e da Bovespa, o Itaú Unibanco terá 30 dias corridos para iniciar a negociação do novo ETF.

Redução de lote

A BM & FBovespa também anunciou nesta segunda a redução do lote-padrão de negociação dos fundos de índices de cem para dez cotas. Ou seja, o valor mínimo para negociar ETFs caiu para um décimo do atual. O objetivo é aumentar o potencial de negociação destes fundos, especialmente, entre pessoas físicas.

Os ETFs são fundos espelhados em índices e suas cotas são negociadas em Bolsa da mesma forma que as ações. Atualmente, são negociados sete fundos de índices na Bovespa, sendo seis geridos pela BlackRock: BOVA11 (referenciado no Ibovespa), SMAL11 (Small Caps), MILA11 (MidLarge Caps), BRAX (índice Brasil - IBrX-100); CSMO (referenciado no índice do setor de Consumo); e MOBI (setor imobiliário) Fundo de Índice); e o PIBB11 (referenciado no Índice Brasil-50), que tem o Itaú como gestor.

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.