Tamanho do texto

Problemas na Hungria e queda das ações da British Petroleum levaram a nova desvalorização também na Europa

A Bovespa teve um dia de volatilidade. O mercado de ações brasileiro abriu em alta e o Ibovespa - principal índice da bolsa - chegou a superar os 62 mil pontos, mas virou e caiu 0,80% no fechamento, cotado em 61.182 pontos. Na sexta-feira, o índice caiu 2,01%, para 61.675 pontos. No acumulado da última semana, a primeira de junho, o índice recuou 0,44%.

A mudança em São Paulo acompanhou virada em Nova York. Nos EUA, Dow Jones caiu 1,16%, Nasdaq recuou 2,04% e S&P500 teve desvalorização de 1,35%.

Pregão na Bolsa de Nova York, que fechou em baixa nesta segunda-feira
Getty Images
Pregão na Bolsa de Nova York, que fechou em baixa nesta segunda-feira
A crise de débito europeia e os fracos números do emprego nos EUA, que levaram à forte baixa em Wall Street na sexta-feira, contaminaram os mercados asiáticos nesta segunda-feira. Isso acabou por reforçar a desconfiança dos investidores na recuperação da economia global e trouxe a aversão ao risco. No Japão, o índice Nikkei da Bolsa de Tóquio sofreu sua maior queda de 2010. O índice perdeu 3,8% e fechou aos 9.520,80 pontos.

Os principais índices das ações europeias caíram nesta segunda-feira, influenciados pelos problemas na Hungria e pela queda da BP em meio aos esforços para conter o vazamento de óleo no golfo do México.

Dólar

O dólar comercial subiu 1,35%, cotado em R$ 1,8760 para venda.

No cenário doméstico, os agentes de mercados consultados pelo Banco Central reduziram ligeiramente a estimativa para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para 5,64% neste ano, contra 5,67% na semana anterior, de acordo com o relatório Focus. As estimativas para a Selic neste ano e no próximo foram mantidas em, respectivamente, 11,75% e 11,50%.

(Com agências)

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.