Aumento da quantidade de ações na oferta da estatal, que pode chegar a R$ 133,7 bilhões, tende a elevar a volatilidade dos papéis

selo

O aumento da quantidade de ações na oferta pública da Petrobras tende a elevar a volatilidade em cima dos papéis, às vésperas do vencimento de opções sobre ações na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Isso deve manter os negócios no Brasil descolados em relação ao desempenho no exterior. Às 10h23 (horário de Brasília), o índice Bovespa (Ibovespa) estava próximo da estabilidade, em leve alta de 0,01%, aos 67.672 pontos.

Logo cedo, a Petrobras anunciou o aumento da quantidade de ações ON e PN que poderão ser emitidas, incluindo sob a forma de ADS (espécie de recibos de ações), no lote adicional da oferta pública global de papeis da companhia. O limite do lote adicional será equivalente a até 20% das ações da oferta e não mais de 10%, conforme anunciado anteriormente. No total, o lote soma agora 751.988.378 ações. Não foi alterada a quantidade de ações do lote suplementar.

A Bovespa também observa a divulgação de dados econômicos nos EUA. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) subiu 0,3% em agosto ante julho, em linha com o previsto, enquanto o núcleo do indicador ficou estável, na mesma base de comparação, ante previsão de aumento de 0,1%.

Oferta chega a R$ 133,7 bilhões

A mudança na quantidade de ações da oferta da Petrobras altera o valor total que a distribuição pode alcançar. A quantidade inicial da oferta global de ações totalizaria um valor R$ 106,96 bilhões, com base na cotação de fechamento das ações ontem e sem levar em consideração os lotes extras.

Com o novo limite do lote adicional, a oferta agora pode crescer em R$ 21,392 bilhões, para R$ 128,35 bilhões. Esse montante, mais o exercício integral do lote suplementar, pode levar a oferta a um total de R$ 133,7 bilhões. Isso representa um aumento de 8,7% em relação ao valor máximo que a oferta alcançaria sob as condições anteriores, ainda ao preço de ontem, ou seja, R$ 123 bilhões.

Para analistas, a tendência é de que os papéis da Petrobras sigam pesados até a próxima quinta-feira, com investidores pressionando por uma redução no preço, na tentativa de obter um valor mais baixo da ação na oferta. Na próxima segunda-feira, há ainda o exercício de opções sobre ações, o que influencia os negócios.

A opção é um contrato que confere ao portador o direito de compra ou venda de um ativo a um preço predeterminado. O vencimento de opções é a data de validade desses contratos. A partir do dia seguinte, o detentor da opção não pode mais exercê-la. Por isso, no dia de vencimento das opções e nos dias imediatamente anteriores, o movimento da Bolsa pode sofrer distorções, com os investidores atuando de forma tal que os preços das ações se aproximem daqueles valores que mais os favorecem quando a opção for exercida.

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.