Em Londres, o FTSE 100 caiu 0,21%; em Paris, o CAC-40 perdeu 0,50%; e em Frankfurt, o DAX recuou 0,22%

SÃO PAULO - As bolsas europeias fecharam em baixa nesta quarta-feira, em um movimento considerado por analistas como uma correção técnica após altas recentes.  Em Londres, o FTSE 100 caiu 0,21%, para 5.556 pontos; em Paris, o CAC-40 perdeu 0,50%, para 3.756 pontos; e em Frankfurt, o DAX recuou 0,22%, para 6.262 pontos.

Os investidores iniciaram o dia assimilando as notícias do Japão. O Ministério das Finanças do país atuou no mercado de câmbio pela primeira vez em mais de seis anos para tentar conter a rápida apreciação do iene. A avaliação foi de que a taxa de 82,87 ienes por dólar teria efeitos negativos sobre os exportadores japoneses e sobre outros setores industriais do país. Na Europa, o destaque ficou com o indicador de emprego.

O número de pessoas empregadas na zona do euro e na União Europeia ficou estável no segundo trimestre, em relação aos três meses antecedentes. De janeiro a março deste ano, o emprego também ficou estável na área do euro, mas caiu 0,2% no bloco europeu.

No Reino Unido , o número de pessoas que pediram o seguro-desemprego cresceu pela primeira vez desde janeiro. Foram 2,3 mil novas solicitações entre julho e agosto, levando o número de pessoas nesta condição a 1,47 milhão.

No entanto, foram criados 8 mil postos de trabalho entre maio e julho, reduzindo a 2,47 milhões o número de desempregados. Com isso, a taxa de desemprego no Reino Unido recuou de 7,9% para 7,8%. Nos Estados Unidos, a produção industrial avançou 0,2% em agosto, seguindo alta de 0,6% em julho.

O setor manufatureiro registrou crescimento de 0,2% em sua atividade. A produção das minas teve alta de 1,2% e serviços essenciais apresentaram declínio de 1,5%. As ações de montadoras foram destaque de alta.

Na França, Peugeot subiu 3,9% e Renault 1,9%. No caso da Peugeot, a alta foi motivada por um relatório do Morgan Stanley, que elevou a recomendação dos papéis da companhia para overweitght (acima da média do mercado). Já a Renault foi beneficiada pela notícia de desvalorização do iene, visto que integra o mesmo conglomerado da japonesa Nissan.

Entre as maiores baixas do dia figuraram as ações da Gamesa (-2,8%), fabricante de turbinas para geração eólica, e da Logitech (-3,0%), fornecedora de produtos periféricos para computadores, como câmeras. Ambos papéis foram afetados por recomendações negativas de analistas de investimento.

(Téo Takar | Valor, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.