Tamanho do texto

SÃO PAULO - Diante da falta de novos indicadores, as bolsas europeias fecharam em baixa nesta segunda-feira, com os investidores ainda preocupados com o ritmo lento de crescimento da economia. Em Londres, o FTSE 100 terminou aos 5.573 pontos, com baixa de 0,45%; em Paris, o CAC 40 caiu 0,43%, para 3.

766 pontos; e em Frankfurt, o DAX recuou 0,31%, aos 6.279 pontos. Na falta de indicadores econômicos, as atenções estiveram voltadas para as notícias corporativas. As ações da Unilever subiram 1,4% depois que a companhia anunciou a compra da americana Alberto Culver, do setor de produtos de higiene pessoal, por US$ 3,7 bilhões. Os papéis da Nestlé subiram 0,7% com o anúncio de uma nova subsidiária, que vai desenvolver alimentos para ajudar a prevenir e tratar doenças como diabetes, obesidade e mal de Alzheimer. No campo negativo, a agência de classificação de crédito Moody´s cortou a nota da dívida sênior não garantida do Anglo Irish Bank em três níveis, de A3 para Baa3, e a da dívida subordinada em seis degraus, de Ba1 para Caa1. Vale destacar que a nota Baa3 está um nível acima do status de junk (alto risco). A Moody´s disse esperar que o governo garanta a dívida sênior, mas avisou que a nota desse título permanece sob revisão para possível rebaixamento até a tomada de decisão. Há a expectativa de que, nesta semana, o governo irlandês apresente as despesas finais do socorro do Anglo Irish Bank para tentar acalmar os investidores. A conta pode chegar a 30 bilhões de euros, como reportou a imprensa local. Na semana passada, o ministro das Finanças, Brian Lenihan, descreveu os custos gerais como "administráveis". (Téo Takar | Valor, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.