SÃO PAULO - As bolsas europeias fecharam de lado nesta sexta-feira, influenciadas pelo aumento de desemprego nos Estados Unidos

. Em Londres, o FTSE 100 recuou 0,08%, para 5.658 pontos; em Paris, o CAC 40 caiu 0,19%, para 3.763 pontos; e em Frankfurt, o DAX subiu 0,25%, para 6.292 pontos. O Departamento de Trabalho dos EUA mostrou que a economia perdeu 95 mil postos de trabalho em setembro, resultando bem pior do que o esperado. O contrapondo ao índice cheio do "payroll" foi o bom desempenho do setor privado, que teria criado 64 mil postos no mês passado. A taxa de desemprego, no entanto, permaneceu em 9,6%. Com isso, aumentaram as apostas no mercado de que o Federal Reserve (Fed), o banco central americano, terá de baixar novas medidas para reativar a economia. Entre os indicadores da região, o índice de preços ao produtor do Reino Unido avançou 4,4% nos 12 meses terminados em setembro. O resultado foi mais suave do que aquele apurado nos 12 meses imediatamente antecedentes (4,7%). As ações do Barclays recuaram 2,2% depois que o fundo de investimento de Abu Dabi anunciou que vai sua participação no banco. Na ponta oposta do mercado, as ações de commodities lideram os ganhos. BHP Billiton e Rio Tinto subiram 1,8% cada. (Téo Takar | Valor, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.