Publicidade
Publicidade - Super banner
Empresas
enhanced by Google
 

Bolsas europeias caem após balanço fraco da H&M

SÃO PAULO - As bolsas europeias encerraram a quarta-feira em baixa. Os resultados da Hennes & Mauritz (H&M), segundo maior varejista de roupas da Europa, decepcionaram o mercado e reacenderam as preocupações com o ritmo de crescimento da economia.

Valor Online |

SÃO PAULO - As bolsas europeias encerraram a quarta-feira em baixa. Os resultados da Hennes & Mauritz (H&M), segundo maior varejista de roupas da Europa, decepcionaram o mercado e reacenderam as preocupações com o ritmo de crescimento da economia. Em Londres, o FTSE-100 terminou em baixa de 0,16%, aos 5.569 pontos; em Paris, o CAC 40 perdeu 0,67%, para 3.737 pontos; e em Frankfurt, o DAX recuou 0,47%, para 6.247 pontos. As ações da H&M recuaram 6,5% mesmo após a empresa sueca apresentar alta de 23% no lucro, para 4,24 bilhões de coroas suecas (US$ 626 milhões). O resultado veio abaixo das projeções, que indicavam ganho de 4,5 bilhões. As ações da BP figuraram entre as principais altas do dia, com avanço de 3,9%. A empresa estaria preparando uma reestruturação de suas atividades e negociando um acordo com o governo americano. Para reforçar as preocupações com a economia, o chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, declarou hoje que, enquanto a economia global está se recuperando a um ritmo lento, a retomada permanece incerta por causa do risco de que não vão ser criados empregos suficientes. Strauss-Kahn disse estar otimista com as perpectivas para os Estados Unidos. Ele notou, contudo, que existe o risco de um mergulho na recessão, mas não é substancial. Entre os indicadores do dia, a confiança econômica nos países da zona euro avançou para 103,2 pontos em setembro, de 102,3 pontos em agosto. Na União Europeia, a elevação foi menos expressiva, de 103,1 pontos para 103,4 pontos. Nos Estados Unidos, as solicitações de empréstimos imobiliários recuaram 0,8% na semana encerrada em 24 de setembro, com ajuste sazonal. Nos sete dias anteriores houve queda de 1,4%. (Téo Takar | Valor, com agências internacionais)

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG