Publicidade
Publicidade - Super banner
Mercados
enhanced by Google
 

Bolsas de NY abrem em alta com balanços positivos

As Bolsas de Nova York abriram em alta nesta quinta-feira, impulsionadas pela enxurrada de balanços corporativos nos Estados Unidos

AE |

selo

As Bolsas de Nova York abriram em alta nesta quinta-feira, impulsionadas pela enxurrada de balanços corporativos nos Estados Unidos. A queda, pela terceira semana consecutiva, no número de pedidos de auxílio-desemprego também ajuda a ancorar o bom humor dos investidores nesta manhã.

Às 11h33 (de Brasília), o Dow Jones subia 0,36% aos 11.165,49 pontos, o Nasdaq ganhava 0,36% para 2.512,32 pontos e o S&P 500 tinha alta de 0,54% aos 1.189,00 pontos.

O número de pedidos de auxílio-desemprego caiu 21 mil, para 434 mil, na semana passada - o menor nível desde julho deste ano. A média móvel em quatro semanas caiu 5.500, para 453.350 pedidos.

O mercado está tendo hoje uma leve trégua antes de os investidores saberem qual será a magnitude do esperado alívio monetário promovido pelo Federal Reserve (Fed, banco central americano), que deverá ser anunciado após a reunião da próxima semana, e antes do encontro dos líderes do G-20 em Seul, na semana seguinte, quando poderá ser feito algum anúncio sobre um acordo cambial. O dólar caía ante as principais moedas nesta manhã, com índice do dólar em queda de 0,5% para 77,741, perto das 10h30 (de Brasília).

No cenário corporativo, a Motorola anunciou crescimento do lucro líquido para US$ 109 milhões, ou US$ 0,05 por ação, de US$ 0,01 por ação um ano antes. O lucro líquido ajustado, de US$ 0,16 por ação, ficou acima dos US$ 0,06 por ação do mesmo período do ano passado e da estimativa da companhia de US$ 0,10 a US$ 0,12 por ação. A Motorola espera lucro líquido de US$ 0,14 a US$ 0,16 por ação no quarto trimestre, ante US$ 0,15 estimado por analistas.

A Dow Chemical informou lucro líquido com operações continuadas ajustado foi de US$ 705 milhões no terceiro trimestre, mais do que o dobro dos US$ 357 milhões registrados no mesmo período do ano passado.

A Colgate divulgou lucro líquido de US$ 619 milhões e vendas de US$ 3,94 bilhões no terceiro trimestre, uma queda nas vendas de 1,5% em comparação ao mesmo período do ano passado. A Avon informou que o lucro do terceiro trimestre cresceu 7%, para US$ 166,7 milhões, ou US$ 0,38 por ação, de US$ 0,36 por ação no mesmo período do ano passado, mas abaixo da previsão de US$ 0,47 por ação.

O lucro líquido da 3M no terceiro trimestre subiu para US$ 1,11 bilhão, ou US$ 1,53 por ação, de US$ 1,35 por ação no terceiro trimestre de 2009. Analistas esperavam lucro de US$ 1,51 por ação. A empresa, no entanto, reduziu o teto das estimativas para 2010 em US$ 0,06, para US$ 5,74.

A Potash, maior fabricante de fertilizantes do mundo, registrou lucro líquido no terceiro trimestre de US$ 402 milhões, ou US$ 1,32 por ação, de US$ 0,82 por ação um ano antes, acima da estimativa de US$ 1,16 por ação. A empresa está enfrentando uma oferta hostil da mineradora BHP Billiton de US$ 39 bilhões.

Leia tudo sobre: ECONOMICOECONOMIA

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG