SÃO PAULO - A notícia de que a atividade manufatureira na China voltou a crescer após três meses de desaceleração animou os mercados acionários na Europa. Puxadas pelo setor de mineração, as bolsas europeias operam em alta nesta quarta-feira.

Em Londres, o índice FTSE 100 subia, há pouco, 1,37%, para 5.296,83 pontos, com as ações da Anglo American avançando 2,30%, enquanto as da Antofagasta tinham alta de 2,71%; as da BHP Billiton 1,35%; as da Rio Tinto, 2,56% e as da Xstrata, 2,80%. Em Paris, o CAC 40 avançava 1,80%, para 3.553,67 pontos e, em Frankfurt, o índice DAX registrava 1,05% de valorização, aos 5.987,28 pontos. Na Espanha, o Ibex 35, da bolsa de Madri, subia 1,30% para 10.319,50 pontos, ao mesmo tempo em que o FTSE MIB, da bolsa de Milão, tinha alta de 1,38%, aos 20.007,57 pontos. O governo chinês anunciou hoje que o Índice dos Gerentes de Compra (PMI, na sigla em inglês) do setor manufatureiro subiu de 51,2 pontos em julho para 51,7 pontos em agosto, revertendo a tendência de contração verificada nos últimos meses. O mesmo movimento foi captado pelo indicador medido pelo banco HSBC e pela empresa de pesquisa Markit Economics, que saiu de 49,4 pontos em julho para 51,9 pontos neste mês. A marca 50 separa a expansão da contração das atividades. Outro dado que está influenciando os negócios na Europa nesta quarta-feira é a notícia de que a gigante francesa de comunicações Vivendi revisou para cima suas projeções de ganhos para 2010. Na bolsa de Paris, as ações da companhia operam com alta superior a 4%. Os investidores ainda reagem aos dados de desempenho da economia australiana no segundo trimestre. O governo da Austrália informou que o Produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu 1,2% entre abril e junho na comparação com os três meses anteriores, quando o crescimento foi de 0,7% (dado revisado). Em relação ao mesmo período de 2009, a expansão foi de 3,3%. (Francine De Lorenzo | Valor, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.