Tamanho do texto

Mercados ficaram divididos entre as notícias sobre a China e a expectativa quanto aos resultados das empresas dos EUA

As bolsas asiáticas fecharam em direções divergentes nesta terça-feira. A Bolsa de Hong Kong acompanhou o declínio das bolsas da China, que se seguiu à reiteração do governo chinês de sua determinação em controlar o aquecido mercado imobiliário. As companhias imobiliárias chinesas lideraram a queda. O índice Hang Seng baixou 0,2% e fechou aos 20.431,06 pontos.

Na China, a queda das bolsas também foi puxada pelo setor imobiliário. O índice Xangai Composto, que acompanha as ações A e B, encerrou com declínio de 1,6%, fechando aos 2.450,29 pontos. O Shenzhen Composto caiu 1,4%, para 979,77 pontos. O Ministério da Habitação e do Desenvolvimento Urbano-Rural sinalizou que o governo não deve fazer uma mudança significativa em suas políticas de aperto no curto prazo. A indicação foi uma resposta a notícias publicadas na imprensa local acerca de um possível cancelamento das políticas macroeconômicas de controle do mercado imobiliário.

No mercado de câmbio chinês, o yuan teve ligeira queda diante do dólar, uma vez que os traders interpretaram a fixação da paridade central acima do esperado como sinal de que o banco central vai diminuir o ritmo de valorização da moeda chinesa. Às 6h30 (de Brasília), o dólar era cotado no mercado de balcão a 6,7720 yuans, acima dos 6,7711 yuans do fechamento de segunda-feira. O banco central fixou a paridade em 6,7802 yuans por dólar, a mais alta desde 1º de julho, contra uma mínima recorde de 6,7718 yuans por dólar na segunda-feira.

O índice Taiwan Weighted da Bolsa de Taipé, em Taiwan, registrou queda de 0,6%, fechando aos 7.597,42 pontos, com os investidores realizando lucros antes da divulgação dos resultados de empresas dos EUA.

A Bolsa de Sydney, na Austrália, quebrou uma sequência de três dias de ganhos e fechou em baixa, com empresas de matéria-prima, energia e industriais arrastando para baixo o mercado, apesar dos resultados positivos da líder americana Alcoa. O índice S&P/ASX 200 registrou queda de 0,7%, aos 4.380,3 pontos.

Na Coreia do Sul, a Bolsa de Seul encerrou estável, com investidores realizando lucros enquanto aguardam os resultados do segundo trimestre da Intel - termômetro das empresas de tecnologia.

Nas Filipinas, o índice PSE da Bolsa de Manila encerrou em alta de 0,8%, fechando aos 3435,85 pontos. O resultado foi sustentado por ganhos de ações no mercado norte-americano.

A Bolsa de Cingapura teve pequena alta uma vez que as blue chips apararam os ganhos da manhã depois que autoridades da China reiteraram sua meta de esfriar o aquecido mercado imobiliário do país. O índice Straits Times subiu 0,1% e fechou aos 2.928,70 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, subiu 0,1% e fechou aos 2.961,51 pontos, com compras de ações de bancos e do setor automotivo por estrangeiros.

Na Tailândia, o índice SET da Bolsa de Bangcoc reverteu os ganhos iniciais e teve baixa de 0,3%, fechando aos 817,35 pontos, com realizações de lucros e também afetado pelas perdas nas demais bolsas regionais.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, teve alta de 0,5% (a sexta consecutiva) e fechou aos 1.332,87 pontos, com os ganhos concentrados nas ações de segunda linha. As informações são da Dow Jones

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.