Tamanho do texto

Na contramão, Eletrobras lidera altas. Empresa deve anunciar capitalização em breve

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) acompanha os mercados internacionais e cai nesta tarde. A perda era de 0,51% às 15h50, com o Ibovespa cotado em 71.311 pontos. Em Nova York e na Europa, as bolsas caem puxadas pelos bancos.

Preocupações com as práticas dos bancos dos EUA ligadas à execução de hipotecas estão aumentando e pressionam as ações do setor financeiro nas Bolsas de Nova York . Às 14h35 (de Brasília), Bank of America (BofA) caía 5,72% e JPMorgan Chase recuava 3,29%. Ao menos 50 estados dos EUA iniciaram uma investigação conjunta sobre a indústria de serviços hipotecários do país, um movimento que pode obrigar muitas empresas financeiras a revisar grandes volumes de empréstimos problemáticos.

Na Europa , as bolsas caíram também com o setor bancário. Analistas acreditam que as novas regras de Basileia 3 obrigarão as instituições a realizar aumentos de capital e reduzir a distribuição de dividendos.

Além disso, na Bovespa, os ganhos recentes sugerem que os investidores podem partir para a realização de lucros. Na contramão, e encabeçando a lista de maiores altas, estão as ações da Eletrobras. As ON sobem 2,8% e as PN têm alta de 2,7%. A empresa deve anunciar em breve sua capitalização .

Analistas afirmam que o Ibovespa venceu ontem a primeira etapa no sentido de superar a difícil tarefa de testar o topo deste ano, em torno dos 72 mil pontos. Na última sessão, a bolsa o pregão acima dos 71,5 mil pontos. À frente, o nível ao redor dos 74 mil pontos é uma marca psicologicamente importante, o que abriria o caminho para o patamar de 80 mil pontos. Em direção contrária, a realização de lucros até os suportes nos limites inferiores de 71 mil pontos e 70 mil pontos é vista como "saudável", para novas escaladas mais consistentes. Porém, se romper os 69.990 pontos, a pressão de venda de ações tende a se intensificar.

Dólar

A moeda norte-americana opera em alta de 0,51%, cotada em R$ 1,6628 para venda.

(com Agência Estado)

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.