Mercados de ações melhoraram hoje, com destaque para Grécia, Portugal e Espanha, os mais afetados antes. EUA deram o tom positivo

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) teve nesta quinta-feira uma recuperação mais consistente em relação às fortes perdas do início da semana, quando rebaixamentos de crédito da Grécia, Portugal e Espanha afetaram todos os mercados. A alta de ontem foi de apenas 0,22%. Hoje, foi de 1,98%. O ganho, no entanto, ainda não foi suficiente para zerar toda a perda acumulada na semana. O saldo negativo ainda é de baixa de 2,2% na semana.

Hoje o Ibovespa encerrou em 67.978 pontos. Novos sinais de melhora da economia americana são o motor da valorização dos mercados nesta quinta-feira. Além de resultados trimestrais, como o da Motorola, os investidores tiveram uma boa reação aos números do mercado de trabalho. Os novos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos totalizaram 448 mil na semana encerrada no dia 24, ou 11 mil a menos no comparativo com a marca da semana retrasada (459 mil). Em Wall Street, as bolsas também têm uma jornada de retomada. O Dow Jones subiu 1,10%, enquanto o Nasdaq avançou 1,63% e o S&P 500 teve valorização de1,29%.

Europa

As bolsas europeias também recuperaram parte das perdas dos últimos dias, ajudadas pelos bons resultados apresentados por empresas no primeiro trimestre e também pelas notícias sobre o pacote de ajuda à Grécia. Entre os principais índices do continente, o FTSE 100, de Londres, avançou 0,56%, para 5.618 pontos; o CAC-40, de Paris, ganhou 1,42%, para 3.841 pontos; e o DAX, de Frankfurt, subiu 1,00%, para 6.145 pontos.

As altas mais expressivas, no entanto, foram registradas nas bolsas de países que tiveram ratings rebaixados pela Standard & Poor´s esta semana. O ASE, da bolsa grega, disparou 7,1%, empurrado pelas ações do Banco Nacional da Grécia (18%) e do EFG Eurbanl Ergasias (14,3%). Em Portugal, o PSI 20 teve alta de 4,59%, devolvendo as perdas do dia anterior. Na Espanha, o Ibex 35 ganhou 2,7%, impulsionado pelos papéis do Santander (3,9%), que divulgou hoje lucro de 2,215 bilhões de euros no primeiro trimestre, 5,7% superior ao de igual período de 2009.

O ministro da Economia da Alemanha, Rainer Brüderle, afirmou hoje, no Rio de Janeiro, que Portugal e Espanha estão em situação diferente da Grécia."O objetivo dessas medidas (de ajuda) é limitar a crise à Grécia. No meu caminho de regresso vou fazer escala em Lisboa e vou manter conversações com representantes do governo português para me informar sobre a situação em Portugal", frisou Brüderle, que está no Brasil em companhia de uma delegação alemã que discute possibilidades de negócios no âmbito da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016.

Brüderle confirmou que está prevista a absorção de créditos de 15 bilhões de euros para ajuda à Grécia e o Conselho de Ministros da União Europeia vai discutir, com a ajuda de Fundo Monetário Internacional (FMI), Banco Central Europeu e Comissão Europeia, a alocação de outros 30 bilhões para os gregos.

Dólar

O dólar caiu 1,2%. A moeda americana fechou em R$ 1,730 na compra e em R$ 1,732 na venda. O dólar caiu apesar dos esforços do Banco Central (BC) para estancar as perdas. O BC realizou por volta das 15h00 o segundo leilão do dia para compra de dólares no mercado à vista de câmbio. Com as atuações, a autoridade monetária tenta conter a depreciação da moeda, que testa nova mínimas para menos de R$ 1,730.

(Com Agências)

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.