Tamanho do texto

O índice Nikkei 225 avançou 61,09 pontos, ou 0,7%, e fechou aos 8.906,48 pontos

selo

A Bolsa de Tóquio interrompeu uma sequência de quatro dias de perdas depois que uma moderada desvalorização do iene ajudou a levantar ações de empresas exportadoras, como Canon e Honda Motor, embora o mercado continue achando que as autoridades japonesas estão marcando passo na implementação de medidas para reduzir os riscos cambiais. O índice Nikkei 225 avançou 61,09 pontos, ou 0,7%, e fechou aos 8.906,48 pontos, depois de ter caído 5,5% desde a última sexta-feira até esta quarta-feira. 

O índice saiu da mínima de 16 meses, registrada na véspera, enquanto os investidores corriam atrás das ações que há muito tempo eram consideradas sobrevendidas. Mas o ímpeto comprador também se enfraqueceu com o surgimento da especulação de que o Banco do Japão (BOJ, banco central) dificilmente implementará novas medidas monetárias antes que seu presidente, Masaaki Shirakawa, retorne de uma viagem aos EUA, em 30 de agosto. 

"A tendência geral de baixa (nas ações) não vai mudar até que o governo tome uma medida; não haverá nenhuma compra ativa além de uma recuperação técnica", disse o estrategista Toshikazu Horiuchi, da Cosmo Securities. 

A Bolsa entrou brevemente no território negativo quando a perspectiva política tornou-se incerta: Ichiro Ozawa, ex-secretário geral do Partido Democrático (partido governista) disse que vai desafiar o primeiro-ministro Naoto Kan na eleição interna do partido em 14 de setembro. O vencedor da eleição provavelmente se tornará primeiro-ministro. "O risco político de que a participação de Ozawa atrase ainda mais as medidas do governo (para conter a alta do iene) está pesando sobre o mercado", disse o analista Masayoshi Yano, analista da Meiwa Securities. As informações são da Dow Jones

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.