Após comprar o argentino Patagonia na quarta, Banco do Brasil procura negócios em países com forte atuação de empresas brasileiras

A compra do Banco Patagonia foi a primeira aquisição do Banco do Brasil de uma instituição financeira internacional, mas novos negócios estão nos planos do BB. O banco brasileiro está estudando aquisições em outros países da América do Sul e nos Estados Unidos, afirmou ao iG o vice-presidente de negócios internacionais do Banco do Brasil, Allan Toledo.

O executivo não informou quais os bancos que interessam ao Banco do Brasil, mas disse que a escolha dos países leva em consideração o mapa de atuação das empresas brasileiras no exterior. “Queremos fornecer para essas companhias no exterior os mesmos produtos e serviços bancários que oferecemos no Brasil”, afirma Toledo.

A escolha da Argentina para o primeiro passo não foi à toa. O país é um dos principais destinos das exportações brasileiras e alvo das empresas nacionais em seus projetos de internacionalização. Estima-se que cerca de 200 empresas brasileiras possuam atualmente fábricas na Argentina. Juntas, elas empregam mais de 200 mil funcionários.

O Banco do Brasil está de olho nesta carteira de clientes e nos novos negócios que podem ser firmados. Atualmente, o principal serviço do banco para clientes com atuação internacional é a oferta de crédito para a exportação. Com a compra do Banco Patagonia, o BB terá uma rede de agências apta a oferecer mais opções para os clientes brasileiros na Argentina, como capital de giro em pesos, conta-salário e cartão de crédito. “Não poderíamos atender toda essa demanda com apenas uma agência na Argentina”, afirma Toledo.

Nome Patagonia permanecerá

A expectativa de Toledo é que a operação seja aprovada pelas autoridades brasileiras e argentinas em até oito meses. O nome Banco Patagonia permanecerá, mas o setor do marketing do Banco do Brasil vai estudar iniciativas para identificar a instituição como uma unidade do BB. O acionista e atual presidente da instituição, Jorge Stuart Milne, continuará no comando do banco, mesmo após a aquisição.

Mesmo sem o nome Banco do Brasil, o Patagonia funcionará como a unidade argentina do BB, segundo o vice-presidente de negócios internacionais. Os brasileiros que viajarem à Argentina poderão utilizar a rede de 154 agências do Patagonia para realizar saques das suas contas do Banco do Brasil.

As subsidiárias argentinas de empresas brasileiras também terão facilidade em movimentar recursos entre as agências do Banco do Brasil e do Patagonia. “Os sistemas serão integrados”, diz Toledo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.