Representantes da Fenaban e dos bancários mantêm negociações hoje à tarde; greve já dura 13 dias

AE
No 13º dia de greve, Fenaban ofereceu nova proposta com reajuste de 7,5%
A Federação Nacional dos Bancos apresentou ao Comando Nacional dos Bancários na manhã desta segunda-feira 11, no 13° dia da greve nacional da categoria, uma nova proposta que inclui índice de reajuste de 7,5% (o que representa aumento real de 3,1%) para quem ganha até R$ 5.250. Para salários superiores, a proposta prevê um fixo de R$ 393,75 ou reajuste de 4,29% (inflação do período) - o que for maior.

A proposta também melhora a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e valoriza o piso salarial (veja abaixo). A negociação foi interrompida para almoço, segundo comunicado enviado à imprensa pela união dos bancários. À tarde, o Comando Nacional retoma tanto as negociações gerais com a Fenaban quanto sobre as reivindicações específicas com o Banco do Brasil e com a Caixa. Ao final das negociações, o Comando se reunirá para avaliar as propostas dos bancos e definir orientações para as assembleias da quarta-feira em todo o país.

"Esses avanços na proposta dos bancos são resultado direto da força da greve nacional dos bancários, principalmente nos bancos privados", avalia Carlos Cordeiro, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e coordenador do Comando Nacional dos Bancários.

Veja a nova proposta da Fenaban:

Reajuste salarial: 7,5%.

Reajuste para salários acima de R$ 5.250: R$ 393,75 fixos, garantindo o mínimo da inflação do período, de 4,29%.

Novos pisos salariais:
- Portaria: R$ 870,84 (era de 748,59).
- Escritório: R$ 1.250,00 (era de 1.074,46).
- Caixa: R$ 1.250,00 (era de 1.074,46).
PLR:
- Regra básica: 90% do salário mais R$ 1.100,80, com teto de R$ 7.181.
- Parcela adicional de 2% do lucro líquido distribuídos linearmente, com teto de R$ 2.400,00.
- Isso significa que na regra básica o reajuste é de 7,5% e na parcela adicional de 14,28%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.