Publicidade
Publicidade - Super banner
Mercados
enhanced by Google
 

Banco do Brasil e Bradesco criam o cartão Elo

Objetivo dos bancos é que a nova bandeira atinja participação de 15% no mercado brasileiro de cartões em cinco anos

Olívia Alonso, iG São Paulo |

O mercado de cartões de crédito brasileiro acaba de ganhar um novo participante. O Banco do Brasil e o Bradesco anunciaram nesta terça-feira a criação da bandeira Elo, que será concorrente da Visa e da Mastercard. Para administrar a nova bandeira, foi criada uma holding que leva o mesmo nome e que tem valor avaliado em R$ 15 bilhões, segundo executivos das instituições financeiras.

Divulgação
Presidentes do Banco do Brasil, Aldemir Bendine (esq.), e do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco (dir.) apresentam cartão Elo
“Queremos ter a ‘bandeira brasileira’”, afirmou Luiz Carlos Trabuco, presidente do Bradesco, em coletiva de imprensa. A Elo será “o pilar para a construção de uma nova plataforma de cartões”, acrescentou o executivo. O objetivo da nova bandeira, que em um primeiro momento atuará com a credenciadora Cielo – detida em 28,65% pelo Banco do Brasil e o Bradesco -, é atingir uma participação de 15% no mercado de cartões brasileiro em cinco anos, segundo os dois bancos, considerando uma projeção de crescimento do mercado para 800 milhões de cartões em 2015. Atualmente, há aproximadamente 570 milhões de cartões no País.

O foco da Elo será em consumidores de classes C, segundo os executivos. “Mas também trabalharemos para outros públicos”, ressaltou Denilson Gonçalves Molina, gerente executivo da diretoria de cartões do Banco do Brasil. A “capilaridade” do Bradesco e do BB no País ajudarão para que a Elo atinja os clientes, segundo os executivos. "Banco do Brasil e Bradesco têm uma complementaridade que vai fazer com que a gente chege a vários pontos do País", afirmou Paulo Caffarelli, vice-presidente de cartões e novos negócios do BB. Trabuco acrescentou que a a bandeira Elo começará a atuar de "baixo para cima". “O cartão Elo vai nascer muito simplificado, mais econômico, vai ser como um genérico de cartão de crédito, que tem a possibilidade de ser de menor custo”, afirmou. A realização de parcerias com redes de varejo foi apontada como uma das estratégias da bandeira. “Ainda não temos nomes, mas não estamos declinando parceiros”, disse Marcelo Noronha, diretor da Bradesco Cartões.

Aldemir Bendine, presidente do Banco do Brasil, destacou que a parceria com o Bradesco trará “benefícios para a sociedade” brasileira. “Teremos um ganho de eficiência muito grande, que, de fato, se reverterá para nossos consumidores e nossos clientes”, disse Bendine. A Elo “facilitará o crédito para a população de menor renda”, acrescentou o presidente do conselho de administração do Bradesco, Lázaro de Mello Brandão.

A Elo terá gestão completamente compartilhada, tendo em sua estrutura societária uma participação de 49,99% do Banco do Brasil e 50,01% do Bradesco. “Essa divisão acontece dessa forma por uma questão judicial, mas a gestão será compartilhada”, esclareceu Caffarelli, do BB. O Bradesco e o Banco do Brasil estimam que as sinergias criadas pela nova parceria possam chegar a R$ 1 bilhão em cinco anos.

 

Leia tudo sobre: Banco do BrasilBradescoEloCieloMastercardcartão

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG