BB terá 51% de participação no capital social e votante da instituição argentina; aquisição custou US$ 480 milhões

O Banco do Brasil comprou 51% das ações do Banco Patagonia, da Argentina, segundo comunicado enviado pela instituição nesta quarta-feira à tarde. O negócio custará US$ 479,6 milhões, pagos de maneira parcelada.

A compra de participação acionária do Banco Patagonia é mais um passo do BB no seu projeto de internacionalização. "A parceria é parte da estratégia do Banco do Brasil de acompanhar a expansão das multinacionais brasileiras no mundo com objetivo de atender suas necessidades de soluções globais de serviços e financiamentos bancários", informa a instituição. Atualmente, o banco possui apenas uma agência na Argentina, em Buenos Aires, criada em 1960.

Um dos principais objetivos do BB é ampliar os negócios com empresas brasileiras instaladas no país ou que realizam negócios na Argentina. "Identificamos a necessidade de prover as empresas brasileiras de produtos e serviços bancários na Argentina, inclusive captação em moeda local", afirma o banco.

A instituição afirma que os dois bancos possuem características complementares, que torna "interessante" sua aproximação. O Patagonia é um banco de varejo, presente em todas as províncias argentinas. Já o Banco do Brasil possui experiência no desenvolvimento de produtos e serviços para o segmento corporate.

Outra meta do BB na Argentina é ampliar a carteira de crédito do Patagonia, principalmente com uma oferta maior de produtos e serviços para empresas brasileiras na Argentina e para o segmento de atacado. O Banco Patagonia fechou 2009 com uma carteira de crédito de US$ 1 bilhão, ativos totais de US$ 2,56 bilhões e um patrimônio líquido de US$ 487,8 milhões. Ao todo, o banco dispõe de 154 agências, principalmente na província de Buenos Aires, e soma 751,6 mil clientes.

A conclusão do negócio depende da aprovação do Banco Central de la República Argentina, do Banco Central do Brasil, do Comitê Nacional de Defesa da Competência (CNDC) e da Assembléia Geral de Acionistas do BB.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.