Não há consenso sobre quando e como o Fed deve se desfazer de US$ 1,25 trilhão de títulos hipotecários adquiridos durante a crise

As bolsas de valores americanas e brasileira aumentaram as perdas no pregão momentaneamente, após a divulgação da ata referente à última reunião do Federal Reserve (Fed), o banco central americano. O movimento, entretanto, foi limitado e os mercados já voltaram a diminuir a queda.

Os integrantes do Fed se mostraram divididos sobre quando a autoridade monetária dos Estados Unidos deve começar a eliminar parte de seu amplo portfólio de títulos hipotecários. A ata do encontro do Fed de abril mostrou que os representantes tiveram pontos de vistas variados sobre quando e como o Fed deve se desfazer de US$ 1,25 trilhão de títulos hipotecários adquiridos durante a crise. A maioria dos participantes do Fed prefere estratégias que podem levar "finalmente" à venda de títulos hipotecários para enxugar o balanço de US$ 2,3 trilhões do Fed.

Alguns manifestaram preocupação que a crise da dívida europeia possa afetar Wall Street e, eventualmente, diminuir o ritmo de recuperação da economia dos EUA. Sobre o desempenho econômico do país, os representantes do Fed apresentaram uma visão um pouco mais animadora do que no início do ano. A nova projeção de expansão para o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA em 2010 é de 3,2% a 3,7%. Em janeiro, a estimativa era de crescimento de 2,8% a 3,5%.

Para a taxa de desemprego, a perspectiva é de que se encontre em 9,1% a 9,5% no fim do ano. Na previsão anterior, o Fed não esperava desemprego abaixo de 9,5% em 2010. Na avaliação do economista da Modal Asset Management, Ivo Chermont, a ata não trouxe surpresas e seus efeitos devem ser mesmo limitados sobre o movimento das bolsas. "O mercado tem levado muito pouco em consideração os dados econômicos americanos e a ata não acrescentou tanto ao debate. O destaque fica com a projeção melhor para a economia neste ano, mas é importante lembrar que a ata foi feita ao fim de abril, então não foi pega a escalada de aumento da aversão a risco de maio. Nesse sentido, ela está um pouco defasada", comentou.

Por volta das 15h50, o Ibovespa, que recuava cerca de 2,04% minutos antes da publicação da ata, cedia 1,98%, aos 59.638 pontos, com volume financeiro de R$ 7,131 bilhões. Em Wall Street, a queda do índice Dow Jones passou de 0,62% para 0,65%, enquanto a do Nasdaq cresceu de 0,68% para 0,77% e a baixa do S & P 500 ficou estável, ao passar de 0,47% para 0,46%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.