O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, afirmou nesta sexta-feira que um aporte do governo federal no banco será discutido na próxima semana com o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Ele não quis revelar o valor que está sendo requisitado pelo banco e não confirmou a cifra de R$ 100 bilhões publicada hoje no jornal Valor Econômico.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237577921615&_c_=MiGComponente_C

Coutinho disse apenas que o número solicitado pelo BNDES ao governo é "grande" e ainda precisa ser discutido. "Temos as nossas necessidades para 2010, mas precisamos entender que também há outras demandas para o governo federal."

O presidente do BNDES contou que teve uma série de reuniões em Londres e recebeu muitas solicitações de empréstimos, especialmente de fornecedores de equipamentos para a indústria de óleo e gás, um dos setores que mais devem crescer no Brasil nos próximos anos, juntamente com o de infraestrutura.

Segundo ele, o BNDES precisa estar presente em algumas áreas onde o setor privado não teria disponibilidade - caso do financiamento da Transnordestina, citou. "Mas uma medida de sucesso para o Brasil não é que o BNDES fique maior, mas que o mercado se desenvolva mais rápido para dividir a formação de crédito."

Leia mais sobre BNDES

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.