Por volta das 14h50, o Ibovespa tinha alta de 1,62%, aos 69.434 pontos, com giro movimentado de R$ 5,521 bilhões

Os investidores seguem com uma atuação forte na ponta compradora dos papéis da Petrobras, que avançam 5% e levam o Ibovespa a defender os 69 mil pontos. Com o processo de capitalização chegando ao fim, diante da definição do preço da ação na oferta pública da empresa ainda hoje, o volume financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) já passa de R$ 5 bilhões.

Por volta das 14h50, o Ibovespa tinha alta de 1,62%, aos 69.434 pontos, com giro movimentado de R$ 5,521 bilhões. No mesmo horário, as ações PN da Petrobras avançavam 5,00%, para R$ 27,28, e giravam R$ 884,3, enquanto os papéis ON se apreciavam em 4,27%, a R$ 30,95, com total negociado de R$ 203,8 milhões.

No mercado americano, os ADRs (American Depositary Receipts, na sigla em inglês) da Petrobras ainda subiam 3,66%, para US$ 35,98.

Amanhã, os papéis da oferta internacional começam a ser negociados na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse) e, na segunda-feira, os da oferta nacional estarão no mercado brasileiro.

Um assessor de investimentos assinala que além de repercutirem o fim da operação de capitalização e a expectativa de sucesso da empresa no processo, os papéis da Petrobras ainda refletem a alta dos preços do petróleo.

Embora o movimento da Petrobras seja o principal driver para o mercado brasileiro nesta jornada, o desempenho de outros papéis de peso também está contribuindo para o rumo das operações, com destaque para Vale PNA (1,47%, a R$ 43,99), OGX Petróleo ON (2,18%, a R$ 20,55) e Itaú Unibanco PN (1,68%, a R$ 39,30).

No setor financeiro, destaque para os papéis ON do Banco do Brasil (2,85%, a R$ 31,02) e PN do Bradesco (2,16%, a R$ 33,00). Ainda entre as maiores altas do Ibovespa estavam, há pouco, as ações Gol PN (3,80%, a R$ 27,30), Lojas Renner ON (3,49%, a R$ 57,18) e Braskem PNA (3,29%, a R$ 16,028).

A Braskem planeja emitir US$ 350 milhões em bônus perpétuos a fim de refinanciar suas dívidas e para propósitos gerais, conforme informou a agência de classificação de risco Fitch Ratings, que concedeu nota "BB+" aos papéis envolvidos na captação preterida.

O refinanciamento inclui resgate de bônus perpétuos emitidos em 2005 e 2006. Entre as principais baixas do Ibovespa, destaque para as units da ALL (-1,17%, a R$ 17,69), Cielo ON (-1,64%, a R$ 14,94) e Duratex ON (-1,73%, a R$ 18,08). Em Wall Street, as bolsas têm uma trajetória instável, descolada do mercado brasileiro. Há instantes, enquanto o índice Dow Jones recuava 0,04% e o S&P 500 cedia 0,05%, o Nasdaq subia 0,57%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.