Companhia do setor de petróleo levantou R$ 2,6 bilhões em sua oferta inicial de ações

 Os papéis ordinários da HRT Participações, empresa pré-operacional do setor de petróleo, apresentaram queda em seu primeiro dia de negociações no Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa) e foram responsáveis pelo segundo maior volume do dia. As ações, negociadas sob o código HRTP3, recuaram 2,75%, para R$ 1.167,00, e giraram o montante de R$ 590,5 milhões. Já o Ibovespa subiu 0,07%, para 69.580 pontos.

A companhia levantou R$ 2,6 bilhões em sua oferta inicial de ações. O preço de emissão ficou em R$ 1.200 por ação, no centro do intervalo de preço sugerido, que variava de R$ 1.050 a R$ 1.350 por papel. A HRT emitiu 2,2 milhões de ações ordinárias (com direito a voto), o que corresponde à colocação do lote inicial de 1,6 milhão de ações, acrescida dos lotes suplementar, de 15%, e adicional, de 20% da emissão inicial.

A oferta é praticamente toda primária, o que significa que os recursos irão para o caixa da companhia. Ao som da bateria de um grupo de samba carioca e cercado por passistas devidamente caracterizadas, o diretor presidente da HRT, Márcio Rocha Mello, comemorou a estreia dos papéis com uma promessa otimista: fazer da empresa pré-operacional a maior companhia independente de petróleo e gás do mundo.

"Temos a segunda maior empresa de petróleo e gás do mundo, a nossa Petrobras, e começamos hoje a ter a maior companhia independente de petróleo e gás do mundo", afirmou Mello, durante cerimônia na bolsa paulista. A HRT foi formada em 2008 por geocientistas e engenheiros vindos da Petrobras e da Agência Nacional de Petróleo.

Atualmente, a companhia detém participação em 65 blocos exploratórios na Bacia dos Solimões, na região amazônica, e em cinco blocos na Namíbia, na África.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.