Volume global de IPOs cai 16% no 3º trimestre

Crise europeia e preocupações com economia global foram responsáveis pela queda, segundo relatório; setembro teve o menor número de ofertas desde maio de 2009

Danielle Brant - iG São Paulo | - Atualizada às

Reuters/Susana Vera
Setembro teve o menor número de ofertas públicas inicias desde maio de 2009, segundo relatório

O número de ofertas públicas iniciais de ações caiu 15,7% no terceiro trimestre do ano na comparação anual, com uma movimentação de US$ 24,3 bilhões no trimestre passado, contra US$ 28,6 bilhões do mesmo período de 2011, mostra o relatório Global IPO Update, da consultoria Ernst&Young. Em relação ao segundo trimestre deste ano, quando foram levantados US$ 44,3 bilhões, a queda foi ainda maior: 45,6%. Apesar disso, o estudo confia na retomada da confiança dos investidores nos últimos três meses do ano e em 2013.

O trimestre anterior somou 165 IPOs globais, contra 248 dos três meses imediatamente anteriores e 291 do mesmo período de 2011. O número de ofertas adiadas ou retiradas caiu de julho a setembro deste ano, totalizando 44, comparado com as 86 do trimestre anterior e as 65 de igual período do ano passado. Segundo o relatório, “a crise ainda sem solução da dívida da zona do euro, preocupações com a economia global e a retração dos mercados de capitais continuaram a impactar a atividade global de IPOs nos primeiros nove meses de2012.”

LeiaCrédito do BNDES inibe IPOs, diz presidente da Amec

Como efeito disso, em setembro foram registradas 36 ofertas, com movimentação de US$ 11,5 bilhões, o menor número de negócios desde maio de 2009. Três ofertas públicas iniciais representaram 47,7% dos IPOs globais no terceiro trimestre, segundo o estudo. Só a Japan Airlines, que levantou US$ 8,5 bilhões na bolsa de Tóquio em setembro, representou 35,2% do total.

As outras duas grandes ofertas do ano foram da IHH Healthcare Bhd, fornecedora de serviços de saúde da Malásia que movimentou US$ 2,1 bilhões em julho, e a produtora de carvão Inner Mongolia Yitai Coal, da China, que arrecadou US$ 900 milhões em agosto.

Horizonte

A região da Ásia-Pacífico continuou liderando o número de ofertas no terceiro trimestre, com 67,9% do market share. A seguir veio América do Norte, com 15,2%, e Europa, Oriente Médio e África, com 14,6%. As Américas do Sul e Central somaram somente 2,4% do total de IPOs lançados. No entanto, dos dez maiores IPOs em termos de capital levantado, sete vieram de países emergentes.

Entre as ofertas registradas, o setor industrial foi o que levantou mais capital, totalizando US$ 10,6 bilhões em 29 negócios. De acordo com o relatório, isso se deve às medidas de estímulo adotadas pelos governos do mundo, incluindo o brasileiro, que lançou planos para incentivar a produção industrial e as indústrias de logística e infraestrutura. O setor de saúde aparece em segundo lugar em volume de capital levantado, com US$ 2,7 bilhões, seguido pelo de materiais, com US$ 2,3 bilhões.

MaisCVM quer análise mais rápida de IPOs para reduzir riscos a ofertas

Apesar das quedas anual e trimestral, o relatório vê sinais positivos nos três últimos meses de 2012 e no próximo ano. “Nós esperamos volume maior na primeira metade de 2013. As áreas a serem observadas incluem alta tecnologia, produtos para consumo e setores industriais.” O estudo acredita que novos estímulos de bancos centrais nas maiores economias mundiais podem ajudar a impulsionar a atividade de IPOs e a restaurar as confianças dos investidores e dos emissores.

Leia tudo sobre: IPOofertaaçõesErnst&Youngcrise econômicazona do euro

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG