Expectativa com ajuda à Espanha limita perdas da Bovespa

Ibovespa encerra pregão com leve alta impulsionada pelo novo pacote de ajuda financeira à Espanha, estímulos na China e resultados positivos dos Estados Unidos

Agência Estado |

Agência Estado

Após passar praticamente a sessão inteira desta quinta-feira no negativo, a expectativa em torno de um novo pacote de ajuda financeira à Espanha melhorou o humor do mercado na última hora dos negócios, ajudando a Bovespa a limitar suas perdas e fechar em leve alta. Conforme reportagem do Financial Times, autoridades da União Europeia estariam trabalhando na preparação do pacote, que incluiria compras de bônus espanhóis pelo Banco Central Europeu (BCE) e tem previsão de anúncio para a próxima semana.

Leia também: Espanha capta 4,798 bilhões em leilão com queda de juros em bônus a dez anos

Durante a maior parte do dia, a descrença dos mercados internacionais acerca da capacidade de recuperação da economia mundial deu o tom dos negócios, motivada pela divulgação de números fracos de atividade do setor privado da China, da zona do euro e dos Estados Unidos, o que afastou os investidores dos ativos de risco.

O Ibovespa encerrou o pregão desta quinta-feira em leve alta de 0,06%, aos 61.687,97 pontos. Na mínima, o principal índice da Bolsa recuou 1,12%, aos 60.961 pontos, e, na máxima, foi a 61.908 pontos, com alta de 0,42%. No mês, a Bovespa acumula ganho de 8,11%, e, no ano, de 8,69%. O volume financeiro somou R$ 6,272 bilhões.

"Após a euforia com o anúncio de estímulos na China, do anúncio do QE3 nos Estados Unidos e de declarações de apoio na zona do euro, o investidor se pergunta qual é o reflexo disso tudo na economia real, e até agora não teve melhora alguma. Foram só palavras", destaca o gestor de investimentos da corretora mineira Picchioni, Paulo Amantéa.

Veja: Setor industrial da China encolhe pelo 11º mês seguido

As dúvidas sobre a magnitude do desaquecimento da demanda chinesa influenciaram os papéis da Vale, que fecharam em queda de 0,84% os ON e -0,71% os PNA. Penalizadas nos últimos três pregões, as ações da Petrobras alcançaram preço mais atrativo, o que abriu oportunidade para recuperação desses papéis. As ações ON da companhia subiram 0,85%, e as PN, 1,15%. A cotação também foi impulsionada por notícias sobre a conclusão da perfuração do quarto poço na cessão onerosa, no pré-sal da Bacia de Santos.

Em Wall Street, o índice Dow Jones encerrou em alta de 0,14%, enquanto S&P 500 e Nasdaq perderam 0,05% e -0,21%, respectivamente.

Leia tudo sobre: bolsaaçõesespanhachina

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG